Aguarde...

Genealogia Pernambucana

Famílias Sertanejas

Genealogia de famílias do sertão nordestino

Genealogia Pernambucana

Famílias Sertanejas

Famílias Sertanejas

Genealogia de famílias do sertão nordestino

Relatório de Descendentes

Relatório de Descendentes

Ignácio de Aragão Osório
3 gerações (Bisnetos)
Atenção!
Relatórios com mais de 3 gerações (bisnetos) podem demorar alguns minutos para concluir, dependendo da quantidade de descendentes.
Aguarde! Relatório em preparação...
  • Ignácio de Aragão Osório1 [#6053]. Com Maria Francisca de Jesus.

    Notas sobre Ignácio de Aragão Osório: Descendente dos fidaldos da Casa da Torre de Garcia D'Avila - Bahia.

    Notas sobre Maria Francisca de Jesus: De Cotinguiba, no Estado de Sergipe.

    1. Filhos:
    2. F.1 - Antônia Lourenço de Aragão
    3. F.2 - Felipe de Aragão Osório
    • F.1 - Antônia Lourenço de Aragão2 [#6045] {Ignácio1}, Aprox 1746, 17-07-1846. Com Aniceto Nunes da Silva (filho de Manoel Nunes da Silva e Francisca das Chagas Pimenta), Capitão-Mor, 25-10-1823.

      Notas sobre Aniceto Nunes da Silva: Foi o proprietário no Sertão, além da fazenda Sabá, de mais de 20 léguas de terras de extensão, subdivididas em 8 fazendas: Tamboril (que havia sido de Domingos Afonso), Balanças, Conceição, São Boa Ventura, Sítio (que mais tarde se transformou na cidade de Sítio dos Nunes), São Gonçalo, São Domingos e parte da antiga Fazenda das Flores, todas herdadas de seu pai. Inventário feito no 1º Cartório de Flores. A data de falecimento está conforme livro de tombo da Igreja de Flores. Enterrado por seu filho João Nunes no Sítio dos Nunes. Quando faleceu tinha entre 95 a 98 anos de idade. Informações de seu pentaneto Saulo Duarte.

      1. Filhos:
      2. N.1.1 - Manoel Francisco da Silva
      3. N.1.2 - Cipriano Nunes da Silva
      4. N.1.3 - José Francisco da Silva
      5. N.1.4 - João Nunes da Silva
      6. N.1.5 - Antônio Leandro da Silva
      7. N.1.6 - Alexandre Nunes da Silva
      8. N.1.7 - Joaquim Nunes da Silva
      9. N.1.8 - Ana Joaquina do Amor Divino
      10. N.1.9 - Francisca Aragão da Silva (Francisca Nunes)
      • N.1.1 - Manoel Francisco da Silva3 [#6046] {Ignácio1 -> Antônia2}.

        Notas sobre Manoel Francisco da Silva: Morto pelos índios na Malhada da Pedra, em Floresta do Navio.

      • N.1.2 - Cipriano Nunes da Silva3 [#6047] {Ignácio1 -> Antônia2}. Casou-se com Rita Maria de Jesus.

        Notas sobre Cipriano Nunes da Silva: Morreu com 90 anos de idade e foi bisavô de Antônio Nunes, proprietário da fazenda Olho d'Água da Tiburuna, em Serra Talhada.

        Notas sobre Rita Maria de Jesus: (Ritinha do Angico).

        1. Filhos:
        2. B.1.2.1 - João Nunes da Silva
      • N.1.3 - José Francisco da Silva3 [#6048] {Ignácio1 -> Antônia2}.
      • N.1.4 - João Nunes da Silva3 [#6049] {Ignácio1 -> Antônia2}, 1783, em Sítio dos Nunes, Flores, Pernambuco, Brasil, 1860, com aproximadamente 77 anos de idade. Casou-se com Maria Helena Nunes da Silva.

        Notas sobre João Nunes da Silva: Foi o 4º Filho de Aniceto Nunes da Silva (considerado o maior latifundiário do seu tempo na região do Pajeú) e Antônia de Lourenço Aragão. Joao Nunes, descendia da Casa da Torre por parte da mãe e foi grande criador de gado em sua sesmaria que se estendia por mais de 6 léguas quadradas, tendo o que hoje é o Distrito de Sitio dos Nunes em Flores como sede. É o legítimo fundador de Sítio dos Nunes. Tio do Barão do Pajeú.

        Fonte: Procuração de Padre Dário Nunes (filho de João Nunes) datada de 1892. Informações da neta Januária Nunes Duarte neta e falecida em 1976. Manuscritos de Maria Nóbia Nunes Duarte Rodrigues - trineta

        1. Filhos:
        2. B.1.4.1 - Dário Nunes da Silva
        3. B.1.4.2 - Simplício Nunes da Silva
        4. B.1.4.3 - Salviano Nunes da Silva
        5. B.1.4.4 - Emiliana Vitorina Nunes da Silva
        6. B.1.4.5 - Constância Brasileira da Silva
        • B.1.4.1 - Dário Nunes da Silva4 [#6056] {Ignácio1 -> Antônia2 -> João3}, 1840, Sacerdote, 1920, com aproximadamente 80 anos de idade.

          Notas sobre Dário Nunes da Silva: Primeiro filho Capitão de Ordenança Joao Nunes.Ordenou-se em 22/05/1869 com 29 anos. Em 12.05.1874 foi designado pároco da Freguesia de Nossa Senhora das Montanhas em Cimbres (Pesqueira-PE) e em 09/12/1878 foi removido para Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Pajeú das Flores. Retornou a Cimbres em 02/05/1879, mas por Ato do Monsenhor Jose Joaquim Camelo de Andrade ele foi reconduzido de volta para Flores em 09/12/1879. Pe. Dário era dono de 3/4 das terras que pertenceram ao seu pai João Nunes. Em 1880 o Pe. Dário Nunes foi transferido para o Rio de Janeiro. Consta em documentos da Arquidiocese do Rio de Janeiro que o Pe. Dario faleceu no ano de 1920 com 80 anos. Ele deve ter deixado sua terra por volta de 1880 já que existe registro de sua presença em Cantagalo (RJ) no Jornal “ O Apostolo” de 08 abril de 1881. Consta sua volta a Flores em 1892 quando passou uma procuração datada de 14/06/1892 para Antônio José de Sant' Anna dando poderes em sua ausência para agir em seu nome sobre as terras do Sitio dos Nunes e os bens que nela possuir.

        • B.1.4.2 - Simplício Nunes da Silva4 [#6057] {Ignácio1 -> Antônia2 -> João3}, 07-07-1845. Casou-se com Joaquina Vieira de Matos.
        • B.1.4.3 - Salviano Nunes da Silva4 [#6059] {Ignácio1 -> Antônia2 -> João3}, 05-01-1849. Casou-se com Ana Rita dos Santos.

          Notas sobre Salviano Nunes da Silva: Sua descendência é conhecida como os Salvi de Sitio dos Nunes.

          1. Filhos:
          2. T.1.4.3.1 - Juvenal Nunes de Melo
        • B.1.4.4 - Emiliana Vitorina Nunes da Silva4 [#6058] {Ignácio1 -> Antônia2 -> João3}, 02-04-1850, 15-03-1900, com 49 anos, 11 meses e 13 dias de idade. Casou-se com Luiz Antônio Duarte.

          Notas sobre Emiliana Vitorina Nunes da Silva: Daí a descendência dos Duarte de Sitio dos Nunes.

          Notas sobre Luiz Antônio Duarte: Eis aí a introdução da família Duarte oriunda de Alagoas na família Nunes de Sitio dos Nunes. Emiliana herdou parte significativa das terras de João Nunes.

          1. Filhos:
          2. T.1.4.4.1 - Maria Nunes Duarte
          3. T.1.4.4.2 - Juvenal Nunes Duarte
          4. T.1.4.4.3 - Luiza Nunes Duarte
          5. T.1.4.4.4 - Plácido Nunes Duarte
          6. T.1.4.4.5 - Antônio Nunes Duarte
          7. T.1.4.4.6 - Daniel Nunes Duarte
          8. T.1.4.4.7 - Irineu Nunes Duarte
          9. T.1.4.4.8 - Emília Nunes Duarte
          10. T.1.4.4.9 - Pergentina Nunes Duarte
          11. T.1.4.4.10 - Altina Nunes Duarte
          12. T.1.4.4.11 - Januária Nunes Duarte
        • B.1.4.5 - Constância Brasileira da Silva4 [#75843] {Ignácio1 -> Antônia2 -> João3}. Casou-se com Cazuza Barros.

          Notas sobre Constância Brasileira da Silva: Dos filhos do Capitão João Nunes Constância era a única que não se assinava por Nunes.

      • N.1.5 - Antônio Leandro da Silva3 [#6050] {Ignácio1 -> Antônia2}.
      • N.1.6 - Alexandre Nunes da Silva3 [#6051] {Ignácio1 -> Antônia2}.
        1. Filhos:
        2. B.1.6.1 - Zulmira Nunes do Espirito Santo
      • N.1.7 - Joaquim Nunes da Silva3 [#6052] {Ignácio1 -> Antônia2}. Casou-se, em 1805, com Josefa Pereira da Silva (filha de João Pereira da Silva e Antônia Isabel de Sá).

        Notas sobre Josefa Pereira da Silva: Foi proprietária da fazenda Serrote. (segundo Venício Feitosa Neves). Joaquim Pereira da Silva detém documentos informando que é filha de João Pereira da Silva e Antônia Isabel de Sá. O inventário de seu pai encontra-se no Memorial da Justiça. Além do inventário, têm dois casamentos, na Paróquia de Villa Bella, de Filhas de Joaquim Nunes (#6052) e Josefa (#50723), onde consta que são netas de João Pereira da Silva e sua esposa Antônia Izabel de Sá.

        Também aparece Josefa Maria da Silva.

        1. Filhos:
        2. B.1.7.1 - João Pereira da Silva Nunes
        3. B.1.7.2 - José Avelino Pereira da Silva
        4. B.1.7.3 - Manoel Pereira da Silva Nunes
        5. B.1.7.4 - Antônio Simplício Pereira da Silva
        6. B.1.7.5 - Alexandre Pereira da Silva Nunes
        7. B.1.7.6 - Francisco Pereira da Silva Nunes
        8. B.1.7.7 - Esperidião Pereira da Silva Nunes
        9. B.1.7.8 - Maria José Pereira da Silva
        10. B.1.7.9 - Jacintha Océlia Pereira da Silva
        11. B.1.7.10 - Úrsula Pereira da Silva
        12. B.1.7.11 - Francisca Océlia Pereira da Silva
        13. B.1.7.12 - Dária Perpétua da Silva
        • B.1.7.1 - João Pereira da Silva Nunes4 [#66369] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}. Casou-se com Francisca Pereira da Silva (filha de José Pereira da Silva Neto e Generosa Pereira da Silva).

          Notas sobre Francisca Pereira da Silva: (Dona).

          1. Filhos:
          2. T.1.7.1.1 - Generosa Pereira da Silva
          3. T.1.7.1.2 - José Pereira Nunes
          4. T.1.7.1.3 - Pedro Pereira Nunes
          5. T.1.7.1.4 - Solidônio Pereira Nunes
          6. T.1.7.1.5 - Francisca Pereira Nunes
          7. T.1.7.1.6 - Francisco Pereira Nunes (Chico)
          8. T.1.7.1.7 - Simplício Pereira Nunes
        • B.1.7.2 - José Avelino Pereira da Silva4 [#17991] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}. Casou-se com Maria Pereira da Silva (filha de José Pereira da Silva Neto e Generosa Pereira da Silva).

          Notas sobre Maria Pereira da Silva: (Iaiá).

          1. Filhos:
          2. T.1.7.2.1 - Francisca Pereira da Silva
          3. T.1.7.2.2 - Maria José Pereira da Silva
          4. T.1.7.2.3 - Ana Pereira da Silva
        • B.1.7.3 - Manoel Pereira da Silva Nunes4 [#66370] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}.
        • B.1.7.4 - Antônio Simplício Pereira da Silva4 [#66371] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}.
        • B.1.7.5 - Alexandre Pereira da Silva Nunes4 [#59299] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}. Casou-se com Clara Maria de Siqueira.
          1. Filhos:
          2. T.1.7.5.1 - Enéas Pereira de Siqueira
          3. T.1.7.5.2 - Francisca Pereira de Siqueira
          4. T.1.7.5.3 - José Alexandre Pereira
        • B.1.7.6 - Francisco Pereira da Silva Nunes4 [#66372] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}.
        • B.1.7.7 - Esperidião Pereira da Silva Nunes4 [#17637] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}. Com Gertrudes Gomes de Carvalho (filha de José Alves de Carvalho e Maria dos Santos de Carvalho).
        • B.1.7.8 - Maria José Pereira da Silva4 [#17912] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}, 1835. Casou-se, em 29-09-1854, com (1) Joaquim Pereira da Silva Tintão (B.1.9.4) (filho de Manoel Pereira da Silva e Francisca Aragão da Silva (Francisca Nunes)), 1832. Casou-se com (2) Aureliano Pereira da Silva (filho de Alexandre Pereira da Silva e Joana Baptista de Sá), 1832, Major da Guarda Nacional, 1891, com aproximadamente 59 anos de idade.

          Notas sobre Aureliano Pereira da Silva: Sérgio Elias Wanderley, em conversa com o primo Valdir José Nogueira sobre como surgiu o sobrenome "Valões", constataram que foi Aureliano Pereira da Silva.

          Aureliano, lendo o folheto distribuído na missa, edição especializada para as novenas de maio que falava sobre a vida do beato francês Félix de Valois, ficou comovido com a história e adotou o sobrenone "Valões" em seus filhos.

          1. Filhos com (1) Joaquim Pereira da Silva Tintão:
          2. T.1.7.8.1 - Izabel Pereira da Silva (Bela)
          3. T.1.7.8.2 - Josefa Pereira da Silva
          4. T.1.7.8.3 - Antônia Alves Pereira
          5. T.1.7.8.4 - Francisca Pereira da Silva
          6. T.1.7.8.5 - Jacinta Pereira Tintão
            Filhos com (2) Aureliano Pereira da Silva:
          1. T.1.7.8.6 - Constância Pereira da Silva
          2. T.1.7.8.7 - Genésio Pereira Valões
          3. T.1.7.8.8 - Gertrudes Pereira da Silva
          4. T.1.7.8.9 - Fenelon Pereira da Silva
          5. T.1.7.8.10 - Joaquim Pereira da Silva
        • B.1.7.9 - Jacintha Océlia Pereira da Silva4 [#58198] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}. Casou-se com José Pereira de Aguiar (filho de Joaquim Pereira da Silva e Severina Pereira de Aguiar), Coronel.

          Notas sobre José Pereira de Aguiar: Da fazenda Tamboril. Foi casado com uma neta de Aniceto Nunes da Silva e, durante muitos anos exerceu a chefia política do município de Belmonte-PE.

          1. Filhos:
          2. T.1.7.9.1 - Josepha Pereira da Silva
          3. T.1.7.9.2 - Severina Pereira da Silva
          4. T.1.7.9.3 - Maria Pereira de Aguiar
          5. T.1.7.9.4 - Raimundo Pereira de Aguiar
          6. T.1.7.9.5 - Antonia Pereira de Aguiar
          7. T.1.7.9.6 - Constância Pereira de Aguiar
          8. T.1.7.9.7 - João Batista Pereira de Aguiar
          9. T.1.7.9.8 - Ana Pereira de Aguiar
          10. T.1.7.9.9 - Simplício Pereira de Aguiar
          11. T.1.7.9.10 - Francisca Pereira de Aguiar
          12. T.1.7.9.11 - Salustiano Pereira de Aguiar
          13. T.1.7.9.12 - Ceciliana Pereira de Aguiar
        • B.1.7.10 - Úrsula Pereira da Silva4 [#66374] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}.
        • B.1.7.11 - Francisca Océlia Pereira da Silva4 [#66375] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}.
        • B.1.7.12 - Dária Perpétua da Silva4 [#66983] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Joaquim3}. Casou-se com Aureliano Pereira da Silva (filho de Alexandre Pereira da Silva e Joana Baptista de Sá), 1832, Major da Guarda Nacional, 1891, com aproximadamente 59 anos de idade.

          Notas sobre Aureliano Pereira da Silva: Sérgio Elias Wanderley, em conversa com o primo Valdir José Nogueira sobre como surgiu o sobrenome "Valões", constataram que foi Aureliano Pereira da Silva.

          Aureliano, lendo o folheto distribuído na missa, edição especializada para as novenas de maio que falava sobre a vida do beato francês Félix de Valois, ficou comovido com a história e adotou o sobrenone "Valões" em seus filhos.

          1. Filhos:
          2. T.1.7.12.1 - Alexandre Pereira de Valões
          3. T.1.7.12.2 - José Pereira de Valões
          4. T.1.7.12.3 - Cornélio Pereira de Valões
          5. T.1.7.12.4 - Antônio Batista Pereira da Silva (Batista Valões)
      • N.1.8 - Ana Joaquina do Amor Divino3 [#4396] {Ignácio1 -> Antônia2}, 1804, 12-06-1878, com aproximadamente 74 anos de idade. Com Simplício Pereira da Silva (filho de José Pereira da Silva (Capitão Zezinho) e Jacintha Osséria de Santo Antônio), 1784, em Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, Tenente Coronel da Guarda Nacional, 10-01-1859, em Fazenda Baixa Grande, Jardim, Ceará, Brasil, com aproximadamente 75 anos de idade.

        Notas sobre Ana Joaquina do Amor Divino: Morava na Baixa Grande, freguesia de Jardim-CE. Faleceu de ataque apoplético com 74 anos. Enterrada no cemitério de Belmonte-PE.

        Notas sobre Simplício Pereira da Silva: Proprietário da Fazenda Olho d'Agua. Revolucionário. Casou duas vezes. Chegou ao título de Coronel da Guarda Nacional e foi o maior desbravador daquela mata virgem. Tornou-se uma lenda em sua época, os seus feitos são extensos, participou ativamente no sertão de várias convulsões políticas que se sucederam após a abdicação de D. Pedro I. (Fonte: A chegada de Sinhô Pereira ao Cariri Cangaço Parte I Por: Jorge Remigio - Blog Cariri Cangaço). Promovido a Tenente Coronel em 19/11/1842.

        1. Filhos:
        2. B.1.8.1 - Antônio Simplício Pereira da Silva
        3. B.1.8.2 - Generosa Pereira da Silva
        • B.1.8.1 - Antônio Simplício Pereira da Silva4 [#4397] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Ana3}, Capitão. Casou-se, em 03-06-1840, em Fazenda Cristóvão, com (1) Jacinta Pereira da Silva (filha de João Pereira da Silva e Antônia Isabel de Sá). Casou-se, em 26-05-1844, em Fazenda Cristóvão, com (2) Rita Maria da Silva (filha de João Pereira da Silva e Antônia Isabel de Sá).

          Notas sobre Antônio Simplício Pereira da Silva: Esteve presente na tomada de Flores-PE, é citado na carta pelo então delegado de Vila Bela, Manoel Pereira da Silva.

          Fonte: Sérgio Elias Wanderley. Revista de História Municipal, por Joaquim Pereira da Silva.9

          Notas sobre Jacinta Pereira da Silva: Consta no documento de casamento Jacinta Osséria de Santo Antônio, padrinhos os tios Manoel e Francisco Pereira da Silva.

          Notas sobre Rita Maria da Silva: Foram testemunhas de seu casamento: Jacinto Mariano de Sá e José Matheus Pereira da Silva.

          1. Filhos com (2) Rita Maria da Silva:
          2. T.1.8.1.1 - Maria José
          3. T.1.8.1.2 - Úrsula
          4. T.1.8.1.3 - Jacinta
        • B.1.8.2 - Generosa Pereira da Silva4 [#4398] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Ana3}, 1825, em Fazenda Cachoeira, São José do Belmonte, Pernambuco, Brasil, 01-10-1889, com aproximadamente 64 anos de idade. Casou-se, em 21-11-1845, com (1) José Pereira da Silva Neto (B.1.9.5) (filho de Manoel Pereira da Silva e Francisca Aragão da Silva (Francisca Nunes)), 22-02-1833, em Fazenda Belém, Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, 18-09-1885, com 52 anos, 6 meses e 27 dias de idade. Com (2) Cassiano Pereira da Silva (B.1.9.6) (filho de Manoel Pereira da Silva e Francisca Aragão da Silva (Francisca Nunes)), 21-03-1836, em Fazenda Belém, Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, Capitão, 23-10-1887, com 51 anos, 7 meses e 2 dias de idade.

          Notas sobre Generosa Pereira da Silva: Consta em documento de casamento com José, o nome como sendo Generosa Maria da Silva e que tinham 19 anos de idade.

          Fonte: Sérgio Elias Wanderley. História Municipal, por Joaquim Pereira da Silva.

          Notas sobre José Pereira da Silva Neto: Veja família de B.1.9.5

          Notas sobre Cassiano Pereira da Silva: Veja família de B.1.9.6

          1. Filhos com (1) José Pereira da Silva Neto:
          2. T.1.8.2.1 - Juvenal Simplício Pereira da Silva
          3. T.1.8.2.2 - Antônia Pereira da Silva
          4. T.1.8.2.3 - Januária Pereira da Silva
          5. T.1.8.2.4 - Francisca Pereira da Silva
          6. T.1.8.2.5 - José Simplício Pereira da Silva
          7. T.1.8.2.6 - Maria Pereira da Silva
            Filhos com (2) Cassiano Pereira da Silva:
          1. T.1.8.2.7 - Antônio Cassiano Pereira da Silva
      • N.1.9 - Francisca Aragão da Silva (Francisca Nunes)3 [#4389] {Ignácio1 -> Antônia2}. Com Manoel Pereira da Silva (filho de José Pereira da Silva (Capitão Zezinho) e Jacintha Osséria de Santo Antônio), 1797, Militar, 02-05-1862, com aproximadamente 65 anos de idade.

        Notas sobre Manoel Pereira da Silva: Coronel da Guarda Nacional, Comandante Superior das Ordenanças de Flores, Ingazeira e Vila Bela, Cavaleiro de Cristo e Comendador da Imperial Ordem da Rosa. Foi a maior figura do clã dos Pereira, chefe político da família e liderava o partido Conservador no Brasil Imperial naquela região. Proprietário da fazenda Belém (sengundo Venício Feitosa Neves).

        1. Filhos:
        2. B.1.9.1 - Andrelino Pereira da Silva (Barão do Pajeú)
        3. B.1.9.2 - Januária Pereira da Silva
        4. B.1.9.3 - Joaquina Pereira da Silva
        5. B.1.9.4 - Joaquim Pereira da Silva Tintão
        6. B.1.9.5 - José Pereira da Silva Neto
        7. B.1.9.6 - Cassiano Pereira da Silva
        • B.1.9.1 - Andrelino Pereira da Silva (Barão do Pajeú)4 [#4393] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Francisca3}, 1823, em Fazenda Belém, Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, 30-12-1901, em Fazenda Pitombeira, Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, com aproximadamente 78 anos de idade. Casou-se, em 08-10-1851, em Fazenda Olho D'água, com (1) Maria Osséria de Santo Antônio (filha de Francisco Pereira da Silva e Ana Joana Batista). Com (2) Verônica Pereira da Silva (Baronesa do Pajeú) (filha de Antônio Pereira de Souza e Rosa Pereira da Silva).

          Notas sobre Andrelino Pereira da Silva: Comissário de Serra Talhada, comandante-superior de Flores, Ingazeira e Vila Bela, major e depois coronel da Guarda Nacional, Intendente do Município, Cavaleiro de Cristo e Comendador da Imperial Ordem da Rosa. Foi condecorado com o título de Barão do Pajeú em 10-12-1888. Foi também o primeiro prefeito de Vila Bela (1892-1895).

          O documento de casamento foi pesquisado por Sérgio Elias Wanderley na Revista de História Municipal, por Joaquim Pereira da Silva. Consta lá que ele tinha 24 anos e Maria 20 anos de idade.

          A ALMOFADA DE RENDA DE BILRO DA BARONESA DO PAJEÚ QUE VALIA UMA FORTUNA

          Na lendária Vila Bela de outrora, na história da fazenda Pitombeira, vicejam muitas histórias relacionadas com o seu primitivo proprietário, o Barão do Pajeú, da tradicional e numerosa família Pereira, cujo nome de batismo era Andrelino Pereira da Silva, sendo filho do Comandante Superior, coronel Manoel Pereira da Silva.

          Da família a qual pertencia, sobressaiu-se Andrelino, agraciado com o título de “Barão de Pajeú” por decreto imperial de 1º de dezembro de 1888. O referido barão chefiou, desde o Império, o Partido Conservador em Vila Bela. Muito rico dizem que possuía nas velhas arcas de cedro da Fazenda Pitombeira, trezentas redes, com que haveria de hospedar qualquer caravana.

          Nos tempos do Barão do Pajeú e do seu filho Coronel Antônio Pereira, a Fazenda Pitombeira continuava próspera e produtiva e se destacava, além da região do Pajeú como em todo alto e árido sertão pernambucano pela sua importância política, econômica e social.

          Opulento criador, a título de curiosidade a relação dos nomes de alguns animais deixados pelo fidalgo sertanejo, de acordo com seu testamento feito a 27 de agosto de 1901. Cavalos: Bebedor, Borborema, Borboleta, Bordado, Borrego, Cabeceira, Campina, Cravo-branco, Crumatá, Cruzeta, Cuidado, Dançarino, Lavandeira, Mancha, Marujo, Melado-bravo, Nevoeiro, Passarinho, Pensamento, Piáu, Pinto-macho, Raposão, Redondinho, Salvaterra, Tamborete e Vila-bela. Entre os burros: Beleza, Cajazeira, Castanhinho, Ceará, Cutia, Encardido, Enjeitado, Gazo, Pimpão, Quixaba e Tição. Entre as burras: Barra, Bonita, Castanha, Catolé, Fita-preta, Macaca e Praibana.

          Conta-se que durante o novenário da Padroeira Nossa Senhora da Penha, o rico barão escolhia a cada dia o tipo de animal de montaria em que a caravana partindo da Pitombeira, entre proprietários, familiares, vaqueiros e moradores, seguiria para participar das novenas na Matriz de Vila Bela. Dizia o barão: “Hoje iremos todos à novena em cavalos pampas pretos... amanhã em cavalos pampas castanhos...depois de amanhã em cavalos brancos...depois em cavalos melados...”,e assim por diante.

          O Barão do Pajeú casou duas vezes: a 1ª com Maria Osséria de Santo Antônio e a 2ª com a Baronesa do Pajeú, Verônica Pereira da Silva, havendo filhos de ambas. De Maria Osséria nasceram Manuel, Januária, Francisca, Generosa, e Ana; da Baronesa foi filho o coronel Antônio Andrelino Pereira da Silva, que veio a falecer no distrito do Carmo em São José do Belmonte, auxiliado por parentes e amigos.

          No tempo do apogeu e esplendor da Fazenda Pitombeira, na larga varanda da velha casa de vivenda, sentada sobre um couro de boi curtido, passava horas a fio a Baronesa do Pajeú, matando o seu tempo numa almofada bastante abaulada fazendo renda de bilro. Certo dia, tendo encerrado uma conversa um pouco acalorada com Dona Marica Pereira, sua nora, falou a baronesa: “Olhe Marica, quando eu morrer, vou deixar o meu dinheiro para você queimar.”

          O Barão do Pajeú faleceu a 30 de dezembro de 1901. Tempos depois, já doente e em tratamento com o afamado “Tio Cornélio de Sá” de Salgueiro, na época, o doutor de toda aquela região, não resistindo a uma forte infecção intestinal faleceu a Baronesa do Pajeú. Depois da sua morte, Dona Marica Pereira, julgando o que não teria mais importância e nem serventia resolveu queimar os pertences da baronesa. Entre os objetos destinados ao fogo, estava a velha almofada de fazer renda. Quando as chamas iam velozmente reduzindo tudo a cinzas, uma preta, antiga cozinheira da fazenda percebeu que junto com os resquícios chamuscados do enchimento da almofada, estava parte da fortuna da baronesa, ora detectada através de pedaços de algumas cédulas, já soltos no ar, dentro da fumaça escura se elevando no espaço. Entre os valores dos dez réis e dos mil réis, dos vinténs, dos tostões e dos cruzados, de uma enorme quantidade em dinheiro de cédulas da baronesa, foi tudo devorado pelo fogo.

          E cumpriu-se então o que a baronesa havia dito tempos antes:

          “Marica, quando eu morrer, vou deixar o meu dinheiro para você queimar.”

          Valdir José Nogueira de Moura

          1. Filhos com (1) Maria Osséria de Santo Antônio:
          2. T.1.9.1.1 - Manoel Andrelino Pereira da Silva (Seu Né da Caiçara)
          3. T.1.9.1.2 - Januária Pereira da Silva
          4. T.1.9.1.3 - Francisca Maria Pereira da Silva (Chiquinha)
          5. T.1.9.1.4 - Generosa Pereira da Silva
          6. T.1.9.1.5 - Ana Maria Pereira da Silva (Ana do Cedro)
            Filhos com (2) Verônica Pereira da Silva:
          1. T.1.9.1.6 - Antônio Andrelino Pereira da Silva
        • B.1.9.2 - Januária Pereira da Silva4 [#4395] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Francisca3}, 1826. Casou-se, em 25-11-1839, com Sebastião Pereira da Silva (Sebastião do Baixio) (filho de José Pereira da Silva (Capitão Zezinho) e Jacintha Osséria de Santo Antônio), 1812, Major da Guarda Nacional.

          Notas sobre Januária Pereira da Silva: Aarece também Januária Osséria de Santo Antônio.

          Fonte: Sérgio Elias Wanderley. Revista de Historia Municipal, por Joaquim Pereira da Silva.

          Notas sobre Sebastião Pereira da Silva: Foi proprietário da fazenda Baixio. Teve 32 filhos nos dois matrimônios. Óbito n°36 em 29-07-1892, com 81 anos na fazenda Baixio.

          1. Filhos:
          2. T.1.9.2.1 - Manoel Sebastião Pereira da Silva (Baião da Aldeiota)
          3. T.1.9.2.2 - Arcôncio Pereira da Silva
          4. T.1.9.2.3 - José Sebastião Pereira da Silva (Cazuzinha da Cachoeira)
          5. T.1.9.2.4 - Maria Esmeraldina
          6. T.1.9.2.5 - Cassiano Pereira da Silva
          7. T.1.9.2.6 - Lúcio Pereira da Silva
          8. T.1.9.2.7 - Maria Pereira da Silva
        • B.1.9.3 - Joaquina Pereira da Silva4 [#4394] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Francisca3}, 1828, 14-09-1890, com aproximadamente 62 anos de idade. Casou-se, em 26-07-1847, com José Mateus Pereira da Silva (filho de João Pereira da Silva e Antônia Isabel de Sá), 1826.
          1. Filhos:
          2. T.1.9.3.1 - Sebastião Pereira da Silva
          3. T.1.9.3.2 - Filadélfia Pereira da Silva
          4. T.1.9.3.3 - Francisca Pereira da Silva (Chiquinha Maroto)
          5. T.1.9.3.4 - João Pereira da Silva
          6. T.1.9.3.5 - Januária Pereira da Silva
          7. T.1.9.3.6 - Antônia Pereira da Silva
        • B.1.9.4 - Joaquim Pereira da Silva Tintão4 [#4391] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Francisca3}, 1832. Casou-se, em 29-09-1854, com Maria José Pereira da Silva (B.1.7.8) (filha de Joaquim Nunes da Silva e Josefa Pereira da Silva), 1835.
          1. Filhos:
          2. Veja filhos de: B.1.7.8 (+5)
        • B.1.9.5 - José Pereira da Silva Neto4 [#4390] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Francisca3}, 22-02-1833, em Fazenda Belém, Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, 18-09-1885, com 52 anos, 6 meses e 27 dias de idade. Casou-se, em 21-11-1845, com Generosa Pereira da Silva (B.1.8.2) (filha de Simplício Pereira da Silva e Ana Joaquina do Amor Divino), 1825, em Fazenda Cachoeira, São José do Belmonte, Pernambuco, Brasil, 01-10-1889, com aproximadamente 64 anos de idade.

          Notas sobre José Pereira da Silva Neto: Do Olho d'Água, em Belmonte. Em documento de casamento consta José Nunes Pereira.

          Fonte: Sérgio Elias Wanderley. História Municipal, por Joaquim Pereira da Silva.

          Notas sobre Generosa Pereira da Silva: Veja família de B.1.8.2

          1. Filhos:
          2. Veja filhos de: B.1.8.2 (+6)
        • B.1.9.6 - Cassiano Pereira da Silva4 [#4392] {Ignácio1 -> Antônia2 -> Francisca3}, 21-03-1836, em Fazenda Belém, Serra Talhada, Pernambuco, Brasil, Capitão, 23-10-1887, com 51 anos, 7 meses e 2 dias de idade. Com Generosa Pereira da Silva (B.1.8.2) (filha de Simplício Pereira da Silva e Ana Joaquina do Amor Divino), 1825, em Fazenda Cachoeira, São José do Belmonte, Pernambuco, Brasil, 01-10-1889, com aproximadamente 64 anos de idade.

          Notas sobre Cassiano Pereira da Silva: Faleceu de congestão cerebral, com 51 anos.

          Notas sobre Generosa Pereira da Silva: Veja família de B.1.8.2

          1. Filhos:
          2. Veja filhos de: B.1.8.2 (+1)
    • F.2 - Felipe de Aragão Osório2 [#17483] {Ignácio1}, 1748, 26-03-1838, com aproximadamente 90 anos de idade. Casou-se com Bibiana Matildes da Silva (filha de Manoel Nunes da Silva e Francisca das Chagas Pimenta).

      Notas sobre Bibiana Matildes da Silva: Seu testamento foi iniciado em 21/02/1816 (documento da igreja de Flores-PE).

Nomenclatura:
∈ - Indica que a pessoa teve relacionamentos (casamento ou não), com ou sem filhos.
✟ - Indica que a pessoa já é falecida.
Gerações Pessoas Casamentos Pessoas c.c/outros Descendentes
Filhos220
Netos960
Bisnetos27253
Trinetos82--
Totais 120 33 3

Atenção! Relatórios com muitas gerações podem gerar uma grande quantidade de dados e não executar corretamente. Se esta mensagem aparecer no final do relatório, então está completo.

Localidade
Nossos Patrocinadores
Outros Arquivos Genealógicos
Links
  • Brother's Keeper
    O melhor programa para registro de dados genealógicos, usado por mim desde o início deste trabalho.
  • Família Coelho Rodrigues
    Site dos descendentes de Valério Coelho Rodrigues, com sua história, descendentes e muitas outras informações.
  • Uma organização internacional sem fins lucrativos que oferece ferramentas gratuitas para ajudá-lo a descobrir sua genealogia. Muitas pessoas aqui neste site já possuem links para seus registros no Family Search.
  • Colégio Brasileiro de Genealogia
    Deseja pesquisar mais sobre sua família e não sabe como fazer? Aqui você vai encontrar dicas importantes.
  • Arquivo Nacional
  • My Heritage
  • Ancestry
  • Geneall
  • Geneanet
  • Geni

Nome Memorizado
Nenhum nome memorizado.
Dados do arquivo
Data: Quinta-Feira, 20-6-2024 1:4 GMT - DB1
Pessoas: 113.560
Famílias: 36.175
Contato
Site desenvolvido por
Magno José de Sá Araujo
genealogia.pernambucana@gmail.com