Início | Sobrenomes | Fotos | Livros | Outras Famílias
Fale Comigo   
Famílias
Sertanejas
Localização de pessoas 
   
  Memória: Nenhum nome memorizado. Domingo, 5-7-2020  

Relação dos Ancestrais de
Rúbia Alves Soares

1 - Rúbia Alves Soares - (filha de 2 - José Maria Soares e 3 - Irene Alves Modesto Soares)

Pais

2 - José Maria Soares
3 - Irene Alves Modesto Soares - (filha de 6 - Joaquim Alves de Castro e 7 - Celerina Alves Modesto)

Avós

6 - Joaquim Alves de Castro (+Sim)
7 - Celerina Alves Modesto (*1913, +04-07-2018) - (filha de 14 - Procópio José Modesto e 15 - Ana Maria Rodrigues) Ela era considerada uma das pessoas mais velhas de Araripina-PE na data do seu falecimento.

Bisavós

14 - Procópio José Modesto (*22-10-1882, +18-12-1972) - (filho de 28 - Victor José Modesto e 29 - Delfina Maria da Conceição) Décimo primeiro dos filhos de Victor José Modesto, foi batizado pelo padre Francisco Pedro da Silva, da Paróquia de Ouricuri-PE, sendo seus padrinhos Antônio Pereira Rodrigues e sua esposa Geraldina. Em sua homenagem, vários bens públicos em Araripina receberam seu nome, entre eles o grande Parque de Exposição, no qual se realizam os tradicionais eventos festivos da cidade, uma rua no centro da cidade, além de uma escola municipal. Foi casado com Ana Maria Rodrigues, deixando 8 filhos, 51 netos, 154 bisnetos, 86 trinetos e 1 tetraneto em 2005.
O seu falecimento foi informado em 18-12-1972 ao Cartório de Registro Civil de Araripina-PE, e consta no Livro Óbitos Jan-1970, Mai-1976, vol. 7, folha 198, sob o lançamento de n°. 3015.
O sepultamento foi no Cemitério Iracema, no bairro Alto da Boa Vista em Araripina-PE.
15 - Ana Maria Rodrigues (*1878, +06-07-1960) - (filha de 30 - Umbelino Gomes de Souza e 31 - Petronila Maria de Santana) Ana Maria e Procópio Modesto casaram-se no dia 30/04/1903 no Sitio Torre na casa de Umbelino Gomes de Souza, que era o Juiz Distrital, mas não pode presidir o casamento por ser da sua filha. Esse enlace reuniu as tradicionais famílias Modesto e Coelho.
O seu falecimento foi informado em 07-07-1960 ao Cartório de Registro Civil de Araripina-PE, e consta no Livro B_05, folha 213, sob o lançamento de n° 1761.

Trisavós

28 - Victor José Modesto (*1837, +08-09-1895) - (filho de 56 - José Francisco da Silva e 57 - Ana Gomes da Silva) Coronel. Seus pais lhe deram três nomes próprios, e nunca imaginaram que o terceiro nome fosse transformado em patronímico e gerar uma família tão grande e importante do Sertão Pernambucano. Inclusive, hoje os seus descendentes encontram-se espalhada por vários estados e países.
Em 1858, chegou à atual cidade de Brejo Santo, com 21 anos de idade, e ali se estabeleceu com seus pais e irmãos (Antônio Gomes da Silva Bastos, Lourenço Gomes da Silva, Inácio Gomes da Silva, Luzia Gomes da Silva e Basílio Gomes da Silva).
Em 1859, casou-se em Salgueiro-PE com Delfina Maria, que na época tinha 15 anos. Dessa união nasceram quatorze filhos, sendo dez homens e quatro mulheres.
Seus dois primeiros filhos são naturais da cidade do Salgueiro-PE. O primogênito, Antônio (1862), e Anna, apelidada de Aninha (1864).
Em 1865, ele retorna a Brejo Santo pela segunda vez. Mas foi em Milagres-CE onde nasceram o 3o, 4o e 5o filhos: João (1865), Maria Modesto (1869) e Joana (1871).
Em 1872, ele se torna o primeiro cidadão a exercer função policial em Brejo Santo (Delegado Civil, nomeado por seu irmão, Coronel Basílio, que era a maior autoridade daquela região). Mas retirou-se do povoado após um incidente ocorrido no Natal daquele ano. Ao entrar na Capela do Sagrado Coração de Jesus, ouviu do Sr. Joaquim Cardoso dos Santos (um dos chefes políticos de Porteiras) o seguinte comentário ofensivo: "Delegado forte para os fracos". No dia seguinte fez um cerco à casa do ofensor e aprisionou uns criminosos ali homiziados. Basílio, chefe político, muito pacífico, censurou ao irmão, não apoiando sua ação.
Victor Modesto, por ser homem temperamental reagiu, e ao raiar do dia seguinte, tangendo uma tropa de burros foi a residência do irmão Basílio e entregou as chaves da Delegacia dizendo-lhe: "tome sua merda, eu não trabalho com covardes". Em seguida retirou-se do Brejo não voltando mais ao Ceará. Segundo alguns, foi se estabelecer no Sítio Alagoinha, São Gonçalo, onde se radicou e tornou-se co-fundador da cidade de Araripina-PE. Sabe-se porém que antes ele esteve no Piaui. (anotações em uma caderneta de família de Victor José Modesto que se encontra com o neto Dr. Antônio Modesto Primo, residente em Florianópolis-SC).
E foi em 1873 em Simões-PI, que nasceram os filhos: José (1873), Izabel (1875), Raimundo (1877), Francisco (1879) e Ignácio (1881).
Voltando a Pernambuco, se fixaram na fazenda Alagoinha, nas proximidades do então povoado de São Gonçalo, hoje Araripina, onde tiveram os filhos Procópio (1882), Anízio (1884), Abílio (1886) e Joaquim (1888) todos batizados pelo Padre Francisco Pedro da Silva da Freguesia de Ouricuri, conforme a citada caderneta.
Ali plantou raízes, se tornou um dos pioneiros, e um dos principais povoadores da Vila de São Gonçalo.
Faleceu no dia 08 de setembro de 1895, deixando vários filhos para dar continuidade a sua luta pelo engrandecimento da gleba que adotou como torrão natal.
Atualmente sua descendência é enorme, e se encontra espalhada por diversos estados do país.
Fonte: Livro "EM NOME DO PAI E.... DOS FILHOS.... FAMÍLIA MODESTO". Edições Bagaço, Recife 2005. Edênia Ma. Modesto da Silva
29 - Delfina Maria da Conceição (*1844) - (filha de 58 - Elias Alves da Cunha e 59 - Josefa Maria da Conceição)
30 - Umbelino Gomes de Souza - (filho de 60 - Antônio Gomes de Souza e 61 - Umbelina Gomes de São José)
31 - Petronila Maria de Santana - (filha de 62 - José Correa Jaques Filho e 63 - Ana Maria Coelho Rodrigues)

Tetravós

56 - José Francisco da Silva (*1810)
57 - Ana Gomes da Silva (*1820, +08-08-1858) - (filha de 114 - Manoel Gomes da Silva e 115 - Cândida da Rocha Pita Filha) Também conhecida por Ana Joaquina de Jesus. Seu sepultamento foi feito na Igreja Matriz da cidade de Milagres-CE, conforme consta no Livro de Registro de Óbitos da Paróquia de Missão Velha-CE, 1851 a 1859, fls. 152.
58 - Elias Alves da Cunha
59 - Josefa Maria da Conceição
60 - Antônio Gomes de Souza
61 - Umbelina Gomes de São José
62 - José Correa Jaques Filho - (filho de 124 - José Correa Jaques e 125 - Delfina Gomes) De Água Branca.
63 - Ana Maria Coelho Rodrigues - (filha de 126 - José Rodrigues Coelho Filho e 127 - Antônia Rodrigues de Santana)

Pentavós

114 - Manoel Gomes da Silva (*1775)
115 - Cândida da Rocha Pita Filha (*1785, +08-08-1858) - (filha de 230 - João da Rocha Pita e 231 - Cândida da Rocha Pita)
124 - José Correa Jaques
125 - Delfina Gomes
126 - José Rodrigues Coelho Filho - (filho de 252 - José Rodrigues Coelho e 253 - Cristina Macedo) De Boa Esperança, Piauí.
Casou com sua prima Antônia Rodrigues de Santana (#31274), filha de sua tia paterna Maria Rodrigues de Santana (#20958 e de Marcos Francisco de Araújo Costa (#20959).
127 - Antônia Rodrigues de Santana - (filha de 254 - Marcos Francisco de Araújo Costa e 255 - Maria Rodrigues de Santana) De Boa Esperança - PI.

Hexavós

230 - João da Rocha Pita (*1765) Capitão-Mor.
231 - Cândida da Rocha Pita
252 - José Rodrigues Coelho (*1769) - (filho de 504 - Valério Coelho Rodrigues e 505 - Domiciana Vieira de Carvalho) Estabeleceu-se em Carnaíba, Acauan, Paulistana - PE.
253 - Cristina Macedo
254 - Marcos Francisco de Araújo Costa - (filho de 508 - João Francisco de Paiva e 509 - Antônia do Espírito Santo) Ouvidor Geral. Estabeleceu-se em Esperança, município de Jaicós, Piauí. Foi eleito deputado e membro de uma junta do Governo da Província. Não aceitou os postos, sendo posteriormente agraciado com hábito de Comendador da Ordem de Cristo.
255 - Maria Rodrigues de Santana - (filha de 510 - Valério Coelho Rodrigues e 511 - Domiciana Vieira de Carvalho) De Boa Esperança - PI.

Heptavós

504 - Valério Coelho Rodrigues (*03-09-1713, +1783) - (filho de 1008 - Domingos Coelho e 1009 - Águeda Rodrigues) Da Freguesia de São Salvador do Paço de Souza, Bispado do Porto. Casou-se em São Paulo e veio para Paulistana, no Piauí, onde teve 16 filhos. Desses filhos, 14 ficaram na região de Paulistana, Conceição do Canindé e parte do município de Jaicós - PI. Residiu em Paulistana até o dia de sua morte.
A grande parte de seus descendentes que constam no site http://www.genealogiapernambucana.com.br foi conseguida no livro "VALÉRIO COELHO RODRIGUES" de José Teles, publicado pela Companhia Editora de Pernambuco, Recife - PE (215 páginas), enviado para Magno pelos seus descendentes José Bernardino Rodrigues Neto [#51137] e James Teles de Souza [#51190] e também de um levantamento feito por Flávia Curcio Sessegolo [#31945] (167 páginas em formato PDF), enviado para mim pela autora em novembro de 2005.
505 - Domiciana Vieira de Carvalho - (filha de 1010 - José Vieira de Carvalho e 1011 - Maria Freire da Silva)
508 - João Francisco de Paiva
509 - Antônia do Espírito Santo
510 - Valério Coelho Rodrigues (*03-09-1713, +1783) - (filho de 1020 - Domingos Coelho e 1021 - Águeda Rodrigues) (Mesma pessoa de nº 504)
511 - Domiciana Vieira de Carvalho - (filha de 1022 - José Vieira de Carvalho e 1023 - Maria Freire da Silva) (Mesma pessoa de nº 505)

Octavós

1008 - Domingos Coelho (*07-02-1683, +17-02-1721) - (filho de 2016 - Francisco Coelho e 2017 - Maria Ferreira) Domingos era o pai de Valério Coelho Rodrigues.
1009 - Águeda Rodrigues (*18-02-1680) - (filha de 2018 - Bento Rodrigues e 2019 - Izabel Antonia) Águeda era a mãe de Valério Coelho Rodrigues.
1010 - José Vieira de Carvalho
1011 - Maria Freire da Silva
1020 - Domingos Coelho (*07-02-1683, +17-02-1721) - (filho de 2040 - Francisco Coelho e 2041 - Maria Ferreira) (Mesma pessoa de nº 1008)
1021 - Águeda Rodrigues (*18-02-1680) - (filha de 2042 - Bento Rodrigues e 2043 - Izabel Antonia) (Mesma pessoa de nº 1009)
1022 - José Vieira de Carvalho (Mesma pessoa de nº 1010)
1023 - Maria Freire da Silva (Mesma pessoa de nº 1011)

Eneavós (9º avós)

2016 - Francisco Coelho (*03-06-1656, +07-01-1710) - (filho de 4032 - Pero Coelho e 4033 - Domingas Azevedo) Ele era um dos avós de Valério Coelho Rodrigues.
2017 - Maria Ferreira (*17-12-1662, +07-11-1734) Ela era uma das avós de Valério Coelho Rodrigues.
2018 - Bento Rodrigues (*13-12-1643, +30-06-1701)
2019 - Izabel Antonia
2040 - Francisco Coelho (*03-06-1656, +07-01-1710) - (filho de 4080 - Pero Coelho e 4081 - Domingas Azevedo) (Mesma pessoa de nº 2016)
2041 - Maria Ferreira (*17-12-1662, +07-11-1734) (Mesma pessoa de nº 2017)
2042 - Bento Rodrigues (*13-12-1643, +30-06-1701) (Mesma pessoa de nº 2018)
2043 - Izabel Antonia (Mesma pessoa de nº 2019)

Decavós (10º avós)

4032 - Pero Coelho (+20-02-1684) - (filho de 8064 - Antonio Coelho e 8065 - Cesíllia Soares) Pero Coelho era um dos bisavós de Valério Coelho Rodrigues.
4033 - Domingas Azevedo (*APROX 1630, +09-12-1700) - (filha de 8066 - Francisco Dias e 8067 - Isabel Gaspar) Domingas era uma das bisavós de Valério Coelho Rodrigues.
4080 - Pero Coelho (+20-02-1684) - (filho de 8160 - Antonio Coelho e 8161 - Cesíllia Soares) (Mesma pessoa de nº 4032)
4081 - Domingas Azevedo (*APROX 1630, +09-12-1700) - (filha de 8162 - Francisco Dias e 8163 - Isabel Gaspar) (Mesma pessoa de nº 4033)

11º avós

8064 - Antonio Coelho
8065 - Cesíllia Soares
8066 - Francisco Dias (*APROX 1600, +14-11-1659)
8067 - Isabel Gaspar (+26-01-1665)
8160 - Antonio Coelho (Mesma pessoa de nº 8064)
8161 - Cesíllia Soares (Mesma pessoa de nº 8065)
8162 - Francisco Dias (*APROX 1600, +14-11-1659) (Mesma pessoa de nº 8066)
8163 - Isabel Gaspar (+26-01-1665) (Mesma pessoa de nº 8067)

Total de Ancestrais: 64
Nota explicativa da numeração: A primeira pessoa da relação tem sempre o número '1'. Em seguida, cada pessoa do sexo masculino tem um número par, que é calculado multiplicando-se o número de seu filho por 2. As pessoas do sexo feminino, por sua vez, têm um número ímpar, que é calculado somando-se 1 ao número do seu marido. Exemplo: O pai da pessoa de número 3 é a de número 6 (3 x 2) e a sua mãe é a pessoa de número 7 (2 x 3 + 1).
 
   
Início da Página Dados disponibilizados por Magno José de Sá Araújo © - e-mail: Magno José de Sá Araújo