Início | Sobrenomes | Fotos | Livros | Outras Famílias
Fale Comigo   
Famílias
Sertanejas
Localização de pessoas 
   
  Memória: Nenhum nome memorizado. Domingo, 12-7-2020  

Descendência de
Maria Santina de Barros
4 gerações (Bisnetos)

1- Maria Santina de Barros, falec. em 20-10-1894, cas. em 15-11-1902, com Francisco Ramos Nogueira (filho de Juvenal Ramos Nogueira e Ana Joana Batista), profissão: Capitão, falec. em 04-09-1931. ELA: (Dengo).
F.1- Ana Ramos Lacerda, nasc. em 04-05-1907, falec. em 26-03-1982, cas. em 21-09-1928, em Araripina, PE, com Waldimiro Lacerda de Souza (filho de Antônio Bento de Souza Sanó e Maria da Glória Lacerda de Souza), nasc. em 30-07-1904, em Santana do Cariri, CE. ELA: (Donana).
O seu falecimento foi informado por Rita Núbia Mendes Coelho em 08-09-1984 ao Cartório de Registro Civil de Araripina-PE, e consta no Livro Óbitos Ago-1982, Fev-1988, vol. 3, folha 73, sob o lançamento de n°. 1124. O registro foi feito através de Mandato Judicial.
O sepultamento foi no Cemitério Iracema, no bairro Alto da Boa Vista em Araripina-PE.
. ELE: Waldomiro e Ana Ramos, casaram-se em Araripina-PE na casa do Coronel Joaquim Gomes de Sá, no da 21/09/1928 na presença do Juiz Antônio de Barros Muniz e do Escrivão de Registros Civis Joaquim José Modesto.
N.1.1- Maria Dulce Lacerda Coelho, nasc. em 11-07-1929, em São Gonçalo, atual Araripina, PE, cas. em 06-07-1954, em Araripina, PE, com Elisvaldo Rodrigues Coelho (filho de José Manoel Rodrigues Coelho e Teotonia Rodrigues de Morais), nasc. em 22-05-1928, em Cruz de Malta, Ouricuri, PE. ELA: Foi batizada pelo Padre Sidrach Vallarino em 28/10/1929. O Registro encontra-se no Livro de Batismo 06, 1928-1931 na página 61-verso, sob o nº 280. Seus padrinhos foram Francisco Ramos e Maria Lacerda.. ELE: O Casamento foi realizado na residência de Waldimiro Lacerda de Souza em Araripina-PE, pelo Dr. Onofre de Barros - Juiz de Direito da Comarca, e na presença do Escrivão de Casamentos Décio Rodrigues da Silva, e das testemunhas: Osvaldo Rodrigues Coelho e Maria Euridice Alves.
As informações encontra-se no Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais em Araripina-PE, no Livro de Matrimônios set/1947-jul/1954 vol. 13, folhas 296 e 296-verso, sob o lançamento de n°. 544.
Elisvaldo e Dulce casaram-se no religiosamente também em 06/07/1954.
N.1.2- Maria do Socorro Ramos Lacerda, nasc. em 20-04-1931, em São Gonçalo, atual Araripina, PE, cas. em 15-07-1959, em Araripina, PE, com Manoel Mendes Angelim. ELA: Foi batizada pelo Padre Luiz Gonzaga em 03/07/1931. O Registro encontra-se no Livro de Batismo 06, 1928-1931 na página 167, sob o nº 326. Seus padrinhos foram Manoel Ramos e Florípedes Lacerda.
N.1.3- Francisca Ramos Lacerda de Andrade, profissão: Professora Estadual, nasc. em 14-08-1933, em São Gonçalo, atual Araripina, PE, falec. em 23-06-2017, cas. em 30-07-1956, em Araripina, PE, com João Gonzaga de Andrade, profissão: Industrial, nasc. em Arcoverde, PE, falec. em Sim. ELA: Chiquita Lacerda, como era conhecida, foi batizada pelo Padre José Cinzerman em 05/11/1933. O Registro encontra-se no Livro de Batismo 07, 1931-1935 na página 107, sob o nº 407. Seus padrinhos foram Manoel Lacerda de Souza e Leticia de Matos Lacerda.
B.1.3.1- Ana Maria Ramos Lacerda de Andrade, nasc. em 06-08-1960, em Araripina, PE, falec. em 28-02-1961
B.1.3.2- Marilac
B.1.3.3- Ana Inês
B.1.3.4- Tadeu
N.1.4- Gerusa Ramos Lacerda, nasc. em 02-06-1935, em São Gonçalo, atual Araripina, PE. NOTAS: Foi batizada pelo Padre Luiz Gonzaga em 29/09/1935 e o Registro encontra-se no Livro de Batismo 08, 1935-1937 na página 38, sob o nº 516. Seus padrinhos foram Antonio Lacerda de Souza e Maria de Lurdes Barros.
N.1.5- Onofre Lacerda de Souza, nasc. em 13-10-1939, em São Gonçalo, atual Araripina, PE. ELE: Foi batizado pelo Padre Luiz Gonzaga em 24/09/1940. O Registro encontra-se no Livro de Batismo 10, 1939-1942 na página 62, sob o nº 417. Seus padrinhos foram Plinio Arraes e Alice Modesto.
B.1.5.1- Victor Onofre Correia Lacerda de Souza
N.1.6- José Valmir Ramos Lacerda, profissão: Odontólogo, nasc. em 16-07-1941, em Araripina, PE; e Maria Dionéia de Andrade Lacerda, profissão: Odontóloga. ELE: José Valmir Ramos Lacerda, ou Dr. Valmir Lacerda, como é conhecido pela maioria da população, nasceu em Araripina e tem na Odontologia a sua profissão. Formado na Universidade Federal de Pernambuco, é casado com a também odontóloga Maria Dionéia de Andrade Lacerda, com quem teve 4 filhos.
Foi professor de Biologia, Botânico e Zoologia dos antigos colégios São Gonçalo, Santa Maria, Paulo VI e dos colégios estaduais de Araripina. Como atividade principal, o Dr. Valmir Lacerda foi um profissional exemplar daqueles que colocam o ser humano em primeiro plano deixando a questão financeira em plano secundário. Nunca perdeu a paciência com as intermináveis filas e sobre o carregamento causado pelo perverso sistema de saúde do Brasil. "Sempre atendi a todos que me procuravam no meu gabinete sem me preocupar com o avançar da hora, adiantando que também atendia muito além da cota pra mim estipulada". Assim procedeu nas cidades onde prestou serviço, como: Araripina, Santa Cruz e Santa Filomena em PE, e Simões e Padre Marcos-PI.
Na política, o Dr. Valmir Lacerda foi prefeito de Araripina entre os anos de 1983 a 1988, considerado um dos melhores prefeitos na história do município desencadeando um processo de desenvolvimento onde todos ressaltam que a história de Araripina se divide em duas fases: antes e depois de Valmir Lacerda. Esse argumento prende-se a um dado inquestionável, que é o considerável elenco de obras construídas no período em que governou Araripina.
Ainda sobre política, o ex-prefeito defende que ao abraçar a vida pública a trajetória de vida do pretendente não pode deixar de ser considerada já que, em sua opinião, não existe a possibilidade de um homem tornar-se político e representar com dignidade o seu povo se a sua vida pública não for amplamente recomendável.
. ELA: Dra. Dionéia, como é mais conhecida na cidade, é formada em Odontologia pela antiga Faculdade de Odontologia de Caruaru-FOP, hoje ASCES e veio para Araripina ao se casar com o ex-prefeito Valmir Lacerda. Exerceu a atividade profissional de cirurgiã dentista até os dias de hoje tendo se tornado, nesta época, conhecida e admirada por todos na cidade e nos distritos do município de Araripina.
Não foi possível articular um consenso para as eleições de 1992. Nenhum nome conseguiu harmonizar os interesses locais. Três candidatos se apresentaram para a disputa eleitoral. Emanuel Santiago Alencar-Bringel, representante do Partido da Reconstrução Nacional-PRN, tendo José Batista de Lima, como candidata a vice-prefeito; Maria Dionéia Lacerda, pelo Partido da Frente Liberal-PFL, tendo o empresário Manoel Valmir Simeão, como vice e José Alencar Gualter- Dr. Zé Alencar, pelo Partido Social Trabalhista-PST, com Paulo Tarcísio Reis de Alencar, como vice.
As eleições de 1992 exploraram ao extremo o caráter festivo que vinha se acentuando em eleições passadas: o uso de música, paródias, refrões e cores privativas de cada candidatura. Trios elétricos, carros de som, cantores de casa e de fora em showmícios que se estendiam até a madrugada. As cores demarcavam os domínios políticos em casas e pontos espalhados pela cidade. O azul, o amarelo e o vermelho representavam as opções políticas do momento eleitoral.
Outra característica marcante dessa eleição foi uma mulher como candidata à prefeitura de Araripina, fato inédito, até então. Além da primeira candidata, a Dra. Dionéia se tornou a primeira prefeita eleita de Araripina, com uma larga margem de votos à frente do segundo colocado. A presença feminina também surpreende na disputa à Câmara de Vereadores, seis candidatas se apresentaram, embora apenas uma tenha sido eleita.
B.1.6.1- José Valmir Ramos Lacerda Filho, profissão: Médico
B.1.6.2- Valdemiro de Sousa Neto, profissão: Médico
B.1.6.3- Rian de Andrade Ramos Lacerda, profissão: Médico
B.1.6.4- Neyara de Andrade Ramos Lacerda, profissão: Médica e Advogada
N.1.7- Antônio Lacerda Sobrinho, nasc. em 17-02-1947, em Araripina, PE, cas. com Marta Célia Alencar Saldanha Lacerda
B.1.7.1- Waldimiro Lacerda de Souza Neto
B.1.7.2- Welber Saldanha Ramos Lacerda
B.1.7.3- Ana Cremilda Saldanha Ramos Lacerda
N.1.8- Maria Valmira Ramos Lacerda de Souto; e Inácio Rafael de Souto
B.1.8.1- Ana Cláudia Ramos Lacerda de Souto, profissão: Administradora de Empresas e Psicóloga; e Luiz Octávio Fittipaldi Freire Filho
B.1.8.2- Anna Maria Ramos Lacerda de Souto, profissão: Administradora de Empresas; e David José Leite Peixoto
B.1.8.3- Anna Karla Ramos Lacerda de Souto, profissão: Advogada; e Carlos Junqueira Henriques
B.1.8.4- Ignácio Raphael de Souto Júnior, profissão: Advogado
B.1.8.5- Onofre Lacerda de Souza Sobrinho, profissão: Médico, nasc. em 01-03-1979, em Crato, CE; e Tássia Barbosa de Medeiros Souza. ELE: O Registro do seu nascimento foi feito no Cartório de Registros Civis de Araripina-PE no dia 05/03/1979.
N.1.9- Francisco Goiana
F.2- Maria de Carvalho Ramos; e Raimundo Angelin (filho de José Ramos Angelin)
N.2.1- José Ramos
F.3- Manoel Ramos de Barros, profissão: Político, nasc. em 09-07-1909, em Fazenda Buqueirão, Distrito de Bom Nome, São José do Belmonte, PE, falec. em 23-01-1994, cas. em 24-07-1935, em Araripina, PE, com Maria de Lurdes Muniz Ramos (filha de Francisco da Rosa Muniz e Belmira Granja Muniz), nasc. em 06-08-1914, em Ouricuri, PE. ELE: Era conhecido por "Seu Né Ramos".
Aos 3 anos, perdeu a mãe, que faleceu de parto. Foi morar com um tio, Cassiano Rodrigues, em Bodocó-PE, em 1919, (ano do segundo casamento do seu pai, com Antônia Muniz Soares, de Salgueiro).
Em princípios do ano de 1921, quando já cursava o 2º ano primário, voltou para a companhia do pai, que já morava em Ouricuri-PE.
Em 1922, o Capitão Chico Ramos, como era conhecido seu pai, estabeleceu-se em São Gonçalo com uma casa de tecidos, em sociedade com os seus cunhados Francisco e José Carlos Muniz. Seu Né veio para São Gonçalo, a cavalo, na companhia de Leopoldo, gastando 4 dias na viagem. Aqui, à falta de professor, deixou de estudar, passando a ajudar o seu pai, na loja.
Em 1929, já era Secretário do Conselho Municipal.
Foi tesoureiro e secretário da Prefeitura, na administração de Francisco da Rosa Muniz, seu futuro sogro.
Do Partido Social Democrático (PSD), foi três vezes prefeito de Araripina (1938-1940, 1948-1952 e 1959-1963 e vice-prefeito de 1955/1958).
Exerceu o cargo de prefeito (1ª vez) nomeado, no período de 1938/1940. Assumiu a prefeitura a 2ª vez em 1948/1952, sendo o primeiro prefeito constitucional, após a queda de Getúlio Vargas. Voltaria novamente à Prefeitura (3ª vez), no período de 1959/1963.
Aposentou-se por implemento de idade, em 1979, no cargo de Escrivão, Tabelião e Oficial do Registro de Imóveis da Comarca de Araripina-PE.
É o pai do Ex-Governador de Pernambuco José Muniz Ramos.
O seu falecimento foi informado em 27-01-1994 ao Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais em Araripina-PE, e consta no Livro Óbitos Jan/1993 a Set/1996, folha 58-verso, sob o lançamento de n°. 2663.
O sepultamento foi no Cemitério do Iracema, no Bairro Alto da Boa Vista em Araripina-PE.
N.3.1- João Ramos de Barros, nasc. em 23-06-1935, em Simões, PI, falec. em 27-02-1991, cas. em 06-06-1965, em Araripina, PE, com Eunice Granja Arraes Ramos (filha de Alexandre Arraes Irmão e Ana Granja Arraes), nasc. em 18-02-1936, em São Gonçalo, atual Araripina, PE. ELE: João Ramos casou com Eunice, no Cartório de Registros Civis de Araripina-PE no dia 06/06/1965, na presença do Juiz Dr. Aurélio Muniz Freire e do Escrivão Oficial Décio Rodrigues da Silva.
B.3.1.1- Ana Paula Muniz Ramos
B.3.1.2- Marcos Antônio Muniz Ramos
B.3.1.3- João Muniz Ramos Júnior
N.3.2- Francisco Ranilson Muniz Ramos, nasc. em 08-02-1937, em São Gonçalo, atual Araripina, PE; e Maria do Rosário Rocha. ELE: Foi batizado pelo Padre Luiz Gonzaga em 29/03/1937 e o Registro encontra-se no Livro de Batismo 08, 1935-1937 na página 172-verso, sob o nº 134. Seus padrinhos foram Francisco da Rosa Muniz e Belmira Granja Muniz.
B.3.2.1- Martha Rocha Ramos
B.3.2.2- Cristiane Rocha Ramos
B.3.2.3- Manuel Ramos de Barros Neto
N.3.3- José Muniz Ramos, profissão: Político, nasc. em 22-09-1939, em Araripina, PE; e Maria do Socorro Nogueira Muniz Ramos (filha de e Maria José Nogueira das Neves). ELE: O pai, do Partido Social Democrático (PSD), foi duas vezes prefeito de Araripina (1948-1952 e 1958-1962). Os tios, Sebastião Muniz Falcão e Djalma Falcão, foram respectivamente governador de Alagoas (1955-1960) e deputado federal (1982-1986) e senador (1998-).
No governo Muniz Falcão, José Muniz Ramos desempenhou diversos cargos administrativos. Secretário do Departamento de Assistência Social do Estado (1960-1962), e delegado do Instituto do Açúcar e do Álcool (1963), transferiu-se para a secretaria geral da Prefeitura Municipal de Maceió (1964), tornando-se secretário do Tribunal de Contas de Alagoas (1965).
Bacharel em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Alagoas (1966), chefiou a assessoria jurídica do Complexo Industrial Clementino Coelho, em Petrolina (1967-1969). Gerente das Indústrias Coelho S.A. (1969-1970), elegeu-se deputado estadual na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), assumindo o cargo em fevereiro do ano seguinte. Titular da Comissão de Constituição, Legislação e Justiça, reelegeu-se em 1974. No exercício do seu segundo mandato fez parte da Comissão de Administração Pública da Assembléia Legislativa e exerceu a vice-liderança da bancada. Em 1975, a convite do Departamento de Estado norte-americano, participou de vários simpósios sobre estudos políticos.
Conquistou seu terceiro mandato em 1978, e com a extinção do bipartidarismo, em novembro de 1979, e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Arena. Líder do governo e depois presidente da Assembleia Legislativa, em maio de 1982 foi empossado no governo de Pernambuco, quando o governador Marco Maciel e o vice-governador Roberto Magalhães se desincompatibilizaram para concorrer a uma cadeira no Senado e ao governo do estado. José Muniz Ramos permaneceu à frente do Executivo estadual até 15 de março de 1983, transferindo o cargo para Roberto Magalhães.
Presidente do Banco de Desenvolvimento de Pernambuco (1985-1986), candidatou-se pela legenda do Partido da Frente Liberal (PFL) a vice-governador, na chapa encabeçada por José Múcio Monteiro. Embora contando com o apoio de 120 dos 167 prefeitos pernambucanos e de políticos da expressão de Marco Maciel, que então ocupava o cargo de ministro-chefe do Gabinete Civil da Presidência da República, José Múcio foi derrotado nas eleições de novembro de 1985 pelo candidato do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), o ex-governador e deputado federal Miguel Arrais.
Em outubro de 1990, José Ramos Muniz candidatou-se novamente a deputado estadual, ainda na legenda do PFL, obtendo uma suplência. Exerceu o mandato de abril de 1991 a junho de 1992, período em que ocupou a liderança do governo Joaquim Francisco (1991-1995). Secretário do diretório regional do PFL, não disputou mais nenhum cargo eletivo.
Em agosto de 1999 foi nomeado para o conselho de administração da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF). Dois anos depois, assumiu a superintendência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em Pernambuco.
Filou-se ao Democratas (DEM), de Pernambuco, legenda que substituiu o PFL, no início de 2007.
Casado com Maria do Socorro Nogueira Muniz Ramos, teve três filhos.
FONTES: Globo (15/5/82), INF. BIOG. (11/11/99); Jornal do Commercio Online (http://www2.uol.com.br/JC; acessado em 30/11/2009); Portal do Democratas Pernambuco (http://www.msitedesign.com.br/democratas/inicio.html; acessado em 30/11/2009).
B.3.3.1- Bruno Nogueira Muniz Ramos
B.3.3.2- Danielle Nogueira Muniz Ramos
B.3.3.3- João Paulo Muniz Ramos
N.3.4- Maria Lusanira Muniz Ramos, profissão: Professora, nasc. em 15-05-1942, em Araripina, PE, falec. em 15-07-1995
N.3.5- Maria Ramos Muniz, profissão: Professora, nasc. em 11-12-1944, em Araripina, PE, cas. em 09-07-1972, em Araripina, PE, com José Novaes Filho. ELA: Foi batizada pelo Padre Luiz Gonzaga em 19/01/1945. O Registro encontra-se no Livro de Batismo 12, 1943-1945 na página 173-verso, sob o nº 35. Seus padrinhos foram Pedro Luiz Freire e Adelaide Bezerra.
Está separada atualmente.
. ELE: Está separado de Maria.
N.3.6- Manoelita Muniz Ramos, profissão: Professora, nasc. em 20-01-1947, em Araripina, PE
N.3.7- Maria das Graças Muniz Ramos, nasc. em 19-06-1948, em Araripina, PE, cas. em 09-09-1967, em Araripina, PE, com Antônio Carlos Alencar Neto (filho de Alexandre Alencar Lima e Ana Barreto Alencar), profissão: Comerciante, nasc. em 26-05-1943, em Araripina, PE, falec. em 13-04-2016. ELE: Antônio Carlos e Maria das Graças casaram-se em 09/09/1967 no Cartório de Registros Civis de Araripina-PE, na presença do Juiz Pedro Fernandes de Oliveira e do Escrivão Oficial Décio Rodrigues da Silva.
B.3.7.1- Carlene Ramos Alencar, nasc. em 08-06-1968, cas. com Adriano José Sampaio Pinto Junior (filho de Adriano José Sampaio Pinto e Cledilma Maria da Silva França). ELA: Está separada de Adriano Junior.. ELE: Está separado de Carlene e vivendo em outro relacionamento.
B.3.7.2- Bruno Ramos Alencar, nasc. em 22-02-1971
B.3.7.3- Ana Carla Ramos Alencar, nasc. em 25-04-1972
B.3.7.4- Kelsene Ramos Alencar, nasc. em 24-07-1974
B.3.7.5- Calina Ramos Alencar, nasc. em 24-09-1977
N.3.8- Maria de Fátima Muniz Ramos

Resumo: 3 filhos, 18 netos, 31 bisnetos, 0 trinetos e 0 tetranetos.


gerações.

Atenção! Relatórios de tetranetos podem gerar uma grande quantidade de dados e não executar corretamente. Se esta mensagem aparecer no final do relatório, então está completo.


 
   
Início da Página Dados disponibilizados por Magno José de Sá Araújo © - e-mail: Magno José de Sá Araújo