Início | Sobrenomes | Fotos | Livros | Outras Famílias
Fale Comigo   
Famílias
Sertanejas
Localização de pessoas 
   
  Memória: Nenhum nome memorizado. Sábado, 28-11-2020  

Relação dos Ancestrais de
Rebeca de Menezes Lucena

1 - Rebeca de Menezes Lucena (*05-01-1990) - (filha de 2 - Admário Lucena da Silva e 3 - Maria das Neves de Menezes Lucena)

Pais

2 - Admário Lucena da Silva (*30-01-1951)
3 - Maria das Neves de Menezes Lucena (*15-11-1952) - (filha de 6 - Arcôncio Pereira de Menezes e 7 - Edite do Monte Menezes)

Avós

6 - Arcôncio Pereira de Menezes (*02-01-1905, +03-09-1981) - (filho de 12 - Cincinato Pereira da Silva e 13 - Olímpia das Mercês Menezes) Contador do INPS.
7 - Edite do Monte Menezes (*26-04-1923, +08-08-1992) - (filha de 14 - João Felipe do Monte e 15 - Maria das Neves da Silva Monte)

Bisavós

12 - Cincinato Pereira da Silva - (filho de 24 - Arcôncio Pereira da Silva e 25 - Januária Pereira da Silva) Atuou como delegado de Belmonte e juiz municipal do mesmo município, na qualidade de 1º suplente, cf. Diário de Pernambuco de 05 de nov. 1892, p.1, c. 5, nº 251, a. LXVIII; 14 de set. 1901, p. 2, c. 1, nº 120 e de 04 de abr. 1906, a. 86, nº 76, p. 1, c. 7.
13 - Olímpia das Mercês Menezes - (filha de 26 - Benevides de Souza Menezes e 27 - Ana Jacinta de Menezes) Segunda esposa de Cincinato.
14 - João Felipe do Monte (*04-04-1900, +11-12-1957)
15 - Maria das Neves da Silva Monte (*12-04-1903, +19-09-1977)

Trisavós

24 - Arcôncio Pereira da Silva (*21-12-1843, +17-08-1889) - (filho de 48 - Sebastião Pereira da Silva e 49 - Januária Pereira da Silva) Foi da turma de 1872 da Academia de Direito do Recife. Ex-Deputado Provincial. Abolicionista. Foi juiz de direito na comarca de Floresta até ser removido para a de Vila Bela, cf. Jornal do Recife. Recife, 05 de abr. 1888, p. 2, c. 3.

Diário de Pernambuco. Recife, 12 de set. 1889, a. LXV, nº 206, p. 2, c. 5.
"De uma carta de Belmonte, datada de 26 de Agosto proximo findo, copiamos os seguintes topicos, que se referem ao infausto passamento do nosso honrado amigo o Dr. Arconcio Pereira da Silva, lamentavel acontecimento de que já demos conhecimento aos leitores:
«No dia 17 do corrente, ás 10 1/2 horas da noite, achando-se em companhia do digno vigario Siqueira Torres e de outros amigos, n'uma reunião familiar, a conversar sobre o nada da vida humana, expirou repentinamente o nosso querido juiz de direito Dr. Arconcio Pereira da Silva.
«Ultimamente vivia elle a queixar-se do coração, e de momento a momento aggravavam os seus males.
«Ao enterro do inditoso moço concorreram para mais de 200 pessoas de todos os credos politicos, pois era elle grandemente estimado nesta comarca.
«Á beira da sepultura pronunciou sentidas palavras de despedida o advogado Melquisedeche de Vasconcellos.
«O Dr. Arconcio deixa viuva e tres filhos menores, na maior probreza»."
25 - Januária Pereira da Silva (+07-01-1920) - (filha de 50 - José Pereira da Silva Neto e 51 - Generosa Pereira da Silva)
26 - Benevides de Souza Menezes - (filho de 52 - Manoel Jerônimo de Menezes e 53 - Maria Angélica de Jesus) (ou Benevides Gomes de Menezes, ou Benevides Barbosa de Souza Menezes, Bené)
27 - Ana Jacinta de Menezes (*1846) - (filha de 54 - Manoel Barbosa de Sá e 55 - Jacinta Maria de Jesus) (ou Ana Jacinta de Sá).

Tetravós

48 - Sebastião Pereira da Silva (*1800) - (filho de 96 - José Pereira da Silva e 97 - Jacintha Océlia de Santo Antônio) Major da Guarda Nacional. (Sebastião do Baixio). Foi proprietário da fazenda Baixio. Teve 32 filhos nos dois matrimônios.
49 - Januária Pereira da Silva - (filha de 98 - Manoel Pereira da Silva e 99 - Francisca Aragão da Silva)
50 - José Pereira da Silva Neto (*22-02-1833, +18-09-1885) - (filho de 100 - Manoel Pereira da Silva e 101 - Francisca Aragão da Silva) Do Olho d'Água, em Belmonte.
51 - Generosa Pereira da Silva (*1825, +01-10-1889) - (filha de 102 - Simplício Pereira da Silva e 103 - Ana Joaquina do Amor Divino)
52 - Manoel Jerônimo de Menezes - (filho de 104 - Manoel Telles de Menezes e 105 - Feliciana Gomes de Sá)
53 - Maria Angélica de Jesus (*1815) - (filha de 106 - Bonifácio de Souza Ferraz e 107 - Maria Teresa de Jesus) (ou Maria Angélica das Virgens). Conhecida como Mariazinha.
54 - Manoel Barbosa de Sá (*1819, +11-08-1859) - (filho de 108 - Alexandre Gomes de Sá e 109 - Clara Maria de Sá) Morava na Faz. "Quixabinha".
55 - Jacinta Maria de Jesus - (filha de 110 - Antônio de Souza Ferraz e 111 - Ana Tereza de Jesus)

Pentavós

96 - José Pereira da Silva (+1837) - (filho de 192 - Manuel Pereira da Silva e 193 - Joaquina Pereira) Capitão. Conhecido como Zezinho. Tronco dos Pereiras da lendária Ribeira do Pajeú, no Sertão de Pernambuco. Diz-se em Serra Talhada que José Pereira chegara àquela região no século XVIII, egresso das Sesmarias do Alto Jaguaribe, nos Inhamuns, Estado do Ceará. Foi proprietário da Fazenda Carnaúba (mesmo nome da fazenda de seu pai), que pertence ao seu bisneto, deputado Argemiro Pereira. Algumas informações sobre os seus filhos foram obtidas do blog Cariri Cangaço - A chegada de Sinhô Pereira ao Cariri Cangaço Parte I Por: Jorge Remigio (http://cariricangaco.blogspot.com.br/2013/03/a-chegada-de-sinho-pereira-ao-cariri.html?m=1). Foi dono da fazenda Mocambo. Capitão de Ordenanças, Vereador de Flores, Presidente da Câmara do Senado de Flores, Juiz Ordinário de Vila Bela, conforme documentos visto por Joaquim Pereira da Silva.
97 - Jacintha Océlia de Santo Antônio - (filha de 194 - José Carlos Rodrigues do Nascimento e 195 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha) (Ou Jacinta Rodrigues).
98 - Manoel Pereira da Silva (*1797, +02-05-1862) - (filho de 196 - José Pereira da Silva e 197 - Jacintha Océlia de Santo Antônio) Militar. Coronel da Guarda Nacional, Comandante Superior das Ordenanças de Flores, Ingazeira e Vila Bela, Cavaleiro de Cristo e Comendador da Imperial Ordem da Rosa. Foi a maior figura do clã dos Pereira, chefe político da família e liderava o partido Conservador no Brasil Imperial naquela região. Proprietário da fazenda Belém (sengundo Venício Feitosa Neves).
99 - Francisca Aragão da Silva - (filha de 198 - Aniceto Nunes da Silva e 199 - Antônia Lourenço de Aragão)
100 - Manoel Pereira da Silva (*1797, +02-05-1862) - (filho de 200 - José Pereira da Silva e 201 - Jacintha Océlia de Santo Antônio) (Mesma pessoa de nº 98)
101 - Francisca Aragão da Silva - (filha de 202 - Aniceto Nunes da Silva e 203 - Antônia Lourenço de Aragão) (Mesma pessoa de nº 99)
102 - Simplício Pereira da Silva (*1784, +10-01-1859) - (filho de 204 - José Pereira da Silva e 205 - Jacintha Océlia de Santo Antônio) Tenente Coronel da Guarda Nacional. Proprietário da Fazenda Olho d'Agua. Revolucionario. Casou duas vezes. Chegou ao título de Coronel da Guarda Nacional e foi o maior desbravador daquela mata virgem. Tornou-se uma lenda em sua época, os seus feitos são extensos, participou ativamente no sertão de várias convulsões políticas que se sucederam após a abdicação de D. Pedro I. (Fonte: A chegada de Sinhô Pereira ao Cariri Cangaço Parte I Por: Jorge Remigio - Blog Cariri Cangaço).
Promovido a Tentente Coronel em 19/11/1842.
103 - Ana Joaquina do Amor Divino (*1804, +12-06-1878) - (filha de 206 - Aniceto Nunes da Silva e 207 - Antônia Lourenço de Aragão) Morava na Baixa Grande, freguesia de Jardim-CE. Faleceu de ataque apoplético com 74 anos. Enterrada no cemitério de Belmonte-PE.
104 - Manoel Telles de Menezes - (filho de 208 - Capitão Telles de Menezes)
105 - Feliciana Gomes de Sá - (filha de 210 - José Gomes de Sá e 211 - Feliciana da Silva da Purificação)
106 - Bonifácio de Souza Ferraz (+1829) - (filho de 212 - Dâmaso de Souza Ferraz e 213 - Joana Batista de Souza da Silveira) Alferes. Morava na fazenda Curralinho. Foi nomeado alferes em 1791.
107 - Maria Teresa de Jesus - (filha de 214 - Antônio Barbosa de Sá e 215 - Angélica Maria da Conceição) Conhecida como Mãe Dodô.
108 - Alexandre Gomes de Sá (+1873) - (filho de 216 - Alexandre Gomes de Sá e 217 - Antônia Joaquina de Jesus) Da Fazenda "Quixabinha", em Tacaratú.
109 - Clara Maria de Sá (+1874) - (filha de 218 - Gabriel Gomes de Sá e 219 - Francisca Bernarda de Sá) Morava na Faz. "Quixabinha" em Tacaratú.
110 - Antônio de Souza Ferraz Conhecido como Antoninho "do Curralinho".
111 - Ana Tereza de Jesus - (filha de 222 - Bonifácio de Souza Ferraz e 223 - Maria Teresa de Jesus) (Nicota).

Hexavós

192 - Manuel Pereira da Silva (*1725) - (filho de 384 - Antônio Pereira da Silva e 385 - Maria Pereira da Silva) Da Fazenda Carnaúba, em Geremoabo, Estado da Bahia. Desembarcou em Salvador na primeira metade do século XVIII, vindo de Portugal. Na mesma caravela, vieram também quatro irmãos portugueses de nomes Marta, Alexandre, João Francisco (o caçula) e Leonel de Alencar Rego, que viera mais tarde a se casar com sua filha Maria da Assunção.

Manuel ou Manoel, migrou para o brasil via Salvador e encaminhou-se para as sesmarias dos Inhamuns no Ceará. Em 1777, fugindo da grande seca, subiu a serra do icó e instalou se em Russas onde fundou a vila de São Cosme e Damião, vindo a chamar se mais tarde de Pereiro (divisa com o RN), em sua homenagem. Da mesma forma a serra recebeu o nome de serra dos Pereiros.
Outras fontes referem se a Manuel Pereira do Canto , que obedece a mesma história, porém o põe CASADO com a Sra. Catarina Cardosa da Rocha Resende Macrina [#43654] , segunda esposa de Francisco Alves Feitosa (#43655) mãe em algumas fontes de José Pereira da Silva (#4340) e Antônio Pereira de Souza (#56750).
Algumas fontes Relatam que Catarina Macrina trouxe outros filhos do leito de Manuel Pereira do Canto (Silva), dentre eles Antônio Pereira da Silva que posteriormente instala se na divisa de PE e BA. Quanto ao Capitão Zezinho, segundo tradição oral, homem calado que falava pouco das origens, após desavença com o Coronel Francisco Feitosa, tomou rumo a barranca do Pajeú das Flores, e daí sabe se toda história até a fundação de Serra Talhada.
Fica ainda no Vácuo a correlação sabida da Sra. Maria de Assunção de Jesus Pereira (#5933) que casou se com Leonel Pereira de Alencar (Alenquer) do Rego (#6197) que teve na família títulos de nobreza negados por ter sangue de cristão novo convertido.
Leonel foi companheiro de viagem de Manuel Pereira para o Brasil, e desposou sua filha Maria de Assunção de Jesus Pereira (#5933) que deu origem ao clã dos Alencar do Rego de Exu, tornando se figura imponente na história, tendo o nome Pereira ofuscado. Contudo daí comprova se a parentela do Pereiras do Pajeu aos Alencar do Rego, junção que trás na história uma herança de sangue terrível, porém trás a fundação de tês cidades: Serra Talhada, Pereiro (PE) e Catarina no Ceará
Fonte: José Lacet de Lima Junior.
193 - Joaquina Pereira
194 - José Carlos Rodrigues do Nascimento O abastado fazendeiro José Carlos Rodrigues, remanescente dos fundadores da Casa da Torre e dono da fazenda Sabonete, situada no lugar em que está hoje Bom Nome, com sua esposa, Ana Joana Batista Pereira da Cunha, deixaram 8 filhos, sendo 6 mulheres e 2 homens. A filha Jacinta foi esposa de José Pereira da Silva. Outra, chamada Maria Manoela do Nascimento, foi esposa do português João Antônio Ramos Nogueira. Outra, foi esposa de José Mariano de Sá (de Floresta-PE), a qual o abastado fazendeiro deu a propriedade Canafístula. Outra, foi mulher de um rapaz da fazenda Ema (em Floresta-PE). Outra, casou na família Lacerda, e outra ainda, foi casada com um rapaz da fazenda Jazido, em Vila Bela. Os dois rapazes casaram. O primeiro, com uma moça do Pato (na ribeira do Pajeú), e o segundo, Gonçalo Rodrigues do Nascimento (falecido em 22/7/1878 aos 82 anos de idade), foi casado com a cearense Vitoriana Gomes de Oliveira (falecida em 16/4/1879 aos 75 anos de idade). (do livro "São José do Belmonte" de Valdir Nogueira, página 255).
195 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha - (filha de 390 - Nome Desconhecido e 391 - Nome Desconhecido)
196 - José Pereira da Silva (+1837) - (filho de 392 - Manuel Pereira da Silva e 393 - Joaquina Pereira) (Mesma pessoa de nº 96)
197 - Jacintha Océlia de Santo Antônio - (filha de 394 - José Carlos Rodrigues do Nascimento e 395 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha) (Mesma pessoa de nº 97)
198 - Aniceto Nunes da Silva (+25-10-1823) - (filho de 396 - Manoel Nunes da Silva e 397 - Francisca das Chagas Pimenta) Capitão-Mor. Foi o proprietário no Sertão, além da fazenda Sabá, de mais de 20 léguas de terras de extensão, subdivididas em 8 fazendas: Tamboril (que havia sido de Domingos Afonso), Balanças, Conceição, São Boa Ventura, Sítio (que mais tarde se transformou na cidade de Sítio dos Nunes), São Gonçalo, São Domingos e parte da antiga Fazenda das Flores, todas herdadas de seu pai. Inventário feito no 1º Cartório de Flores. A data de falecimento está conforme livro de tombo da Igreja de Flores. Enterrado por seu filho João Nunes no Sítio dos Nunes. Quando faleceu tinha entre 95 a 98 anos de idade. Informações de seu pentaneto Saulo Duarte.
199 - Antônia Lourenço de Aragão (*APROX 1746, +17-07-1846) - (filha de 398 - Ignácio de Aragão Osório e 399 - Maria Francisca de Jesus)
200 - José Pereira da Silva (+1837) - (filho de 400 - Manuel Pereira da Silva e 401 - Joaquina Pereira) (Mesma pessoa de nº 96)
201 - Jacintha Océlia de Santo Antônio - (filha de 402 - José Carlos Rodrigues do Nascimento e 403 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha) (Mesma pessoa de nº 97)
202 - Aniceto Nunes da Silva (+25-10-1823) - (filho de 404 - Manoel Nunes da Silva e 405 - Francisca das Chagas Pimenta) (Mesma pessoa de nº 198)
203 - Antônia Lourenço de Aragão (*APROX 1746, +17-07-1846) - (filha de 406 - Ignácio de Aragão Osório e 407 - Maria Francisca de Jesus) (Mesma pessoa de nº 199)
204 - José Pereira da Silva (+1837) - (filho de 408 - Manuel Pereira da Silva e 409 - Joaquina Pereira) (Mesma pessoa de nº 96)
205 - Jacintha Océlia de Santo Antônio - (filha de 410 - José Carlos Rodrigues do Nascimento e 411 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha) (Mesma pessoa de nº 97)
206 - Aniceto Nunes da Silva (+25-10-1823) - (filho de 412 - Manoel Nunes da Silva e 413 - Francisca das Chagas Pimenta) (Mesma pessoa de nº 198)
207 - Antônia Lourenço de Aragão (*APROX 1746, +17-07-1846) - (filha de 414 - Ignácio de Aragão Osório e 415 - Maria Francisca de Jesus) (Mesma pessoa de nº 199)
208 - Capitão Telles de Menezes
210 - José Gomes de Sá - (filho de 420 - Francisco Gomes de Sá e 421 - Antônia de Souza da Rocha) Capitão-comandante. De Gravatá.
211 - Feliciana da Silva da Purificação - (filha de 422 - Joaquim de Almeida da Silva Leal e 423 - Maria da Silva) (ou Feliciana da Silva Leal). Da Faz. Riacho, situada na embocadura do riacho dos Mandantes, no rio S. Francisco.
212 - Dâmaso de Souza Ferraz - (filho de 424 - Jerônimo de Souza Ferraz e 425 - Nome Desconhecido) Da Fazenda Curralinho. Foi nomeado Capitão dos Forasteiros da Ribeira do Pajeú em 8-09-1780.
213 - Joana Batista de Souza da Silveira
214 - Antônio Barbosa de Sá
215 - Angélica Maria da Conceição
216 - Alexandre Gomes de Sá (+18-02-1800)
217 - Antônia Joaquina de Jesus
218 - Gabriel Gomes de Sá - (filho de 436 - Francisco Gomes de Sá e 437 - Antônia de Souza da Rocha) Da Fazenda "Quixabinha", em Tacaratú.
219 - Francisca Bernarda de Sá - (filha de 438 - Antônio Francisco de Novaes e 439 - Antônia Maria da Conceição)
222 - Bonifácio de Souza Ferraz (+1829) - (filho de 444 - Dâmaso de Souza Ferraz e 445 - Joana Batista de Souza da Silveira) (Mesma pessoa de nº 106)
223 - Maria Teresa de Jesus - (filha de 446 - Antônio Barbosa de Sá e 447 - Angélica Maria da Conceição) (Mesma pessoa de nº 107)

Heptavós

384 - Antônio Pereira da Silva
385 - Maria Pereira da Silva
390 - Nome Desconhecido
391 - Nome Desconhecido
392 - Manuel Pereira da Silva (*1725) - (filho de 784 - Antônio Pereira da Silva e 785 - Maria Pereira da Silva) (Mesma pessoa de nº 192)
393 - Joaquina Pereira (Mesma pessoa de nº 193)
394 - José Carlos Rodrigues do Nascimento (Mesma pessoa de nº 194)
395 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha - (filha de 790 - Nome Desconhecido e 791 - Nome Desconhecido) (Mesma pessoa de nº 195)
396 - Manoel Nunes da Silva Capitão. Foi dono das propriedades "Campo Santo" e "Santana", em Tacaratu-PE.
397 - Francisca das Chagas Pimenta Irmã do Padre João Coelho.
398 - Ignácio de Aragão Osório Descendente dos fidaldos da Casa da Torre de Garcia D'Avila - Bahia.
399 - Maria Francisca de Jesus De Cotinguiba, no Estado de Sergipe.
400 - Manuel Pereira da Silva (*1725) - (filho de 800 - Antônio Pereira da Silva e 801 - Maria Pereira da Silva) (Mesma pessoa de nº 192)
401 - Joaquina Pereira (Mesma pessoa de nº 193)
402 - José Carlos Rodrigues do Nascimento (Mesma pessoa de nº 194)
403 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha - (filha de 806 - Nome Desconhecido e 807 - Nome Desconhecido) (Mesma pessoa de nº 195)
404 - Manoel Nunes da Silva (Mesma pessoa de nº 396)
405 - Francisca das Chagas Pimenta (Mesma pessoa de nº 397)
406 - Ignácio de Aragão Osório (Mesma pessoa de nº 398)
407 - Maria Francisca de Jesus (Mesma pessoa de nº 399)
408 - Manuel Pereira da Silva (*1725) - (filho de 816 - Antônio Pereira da Silva e 817 - Maria Pereira da Silva) (Mesma pessoa de nº 192)
409 - Joaquina Pereira (Mesma pessoa de nº 193)
410 - José Carlos Rodrigues do Nascimento (Mesma pessoa de nº 194)
411 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha - (filha de 822 - Nome Desconhecido e 823 - Nome Desconhecido) (Mesma pessoa de nº 195)
412 - Manoel Nunes da Silva (Mesma pessoa de nº 396)
413 - Francisca das Chagas Pimenta (Mesma pessoa de nº 397)
414 - Ignácio de Aragão Osório (Mesma pessoa de nº 398)
415 - Maria Francisca de Jesus (Mesma pessoa de nº 399)
420 - Francisco Gomes de Sá - (filho de 840 - José Francisco de Seixas e 841 - Custódia Gomes de Sá) Capitão-Comandante. Da Fazenda Riacho, na embocadura do Riacho dos Mandantes no rio S. Francisco, hoje coberta pelas águas da barragem de Itaparica.
421 - Antônia de Souza da Rocha - (filha de 842 - Manoel de Souza da Rocha e 843 - Feliciana de Barros da Silveira)
422 - Joaquim de Almeida da Silva Leal - (filho de 844 - João Pinto Leal e 845 - Maria de Barros da Silveira)
423 - Maria da Silva
424 - Jerônimo de Souza Ferraz (+20-05-1770) Foi o primeiro Ferraz que chegou a outrora FAZENDA GRANDE do Sertão de Pernambuco (depois Vila de Floresta e hoje FLORESTA), à margem direita do lendário Rio Pajeú (afluente seco do "Grande Rio" ou do Rio São Francisco).
425 - Nome Desconhecido
436 - Francisco Gomes de Sá - (filho de 872 - José Francisco de Seixas e 873 - Custódia Gomes de Sá) (Mesma pessoa de nº 420)
437 - Antônia de Souza da Rocha - (filha de 874 - Manoel de Souza da Rocha e 875 - Feliciana de Barros da Silveira) (Mesma pessoa de nº 421)
438 - Antônio Francisco de Novaes (+09-10-1806) - (filho de 876 - José Francisco de Souza e 877 - Esposa Ainda Desconhecida) Sargento-Mor. O Sargento Mor Antônio Francisco de Novaes foi grande criador de gado (bovino, cavalar, muar e criação miúda), estabelecido em fins do século XVIII na Fazenda "Capim Grosso", imensa extensão de terras, subdivididas atualmente em diversas pequenas e médias propriedades, grande parte dela ainda pertencentes aos seus descendentes ou a terceiros que as adquiriram por compra, desde a Fazenda "Tapera de Baixo," até a Fazenda "Pedra Vermelha". Tendo comprado aquela Fazenda, em 03.08.1796, a José Marques de Souza e sua mulher Rosa Maria Alves e Antônio de Souza e sua mulher Paula Perpétua de São Pedro, pelo preço de 700$000 (setecentos mil réis), com os seguintes limites; (conforme escrita da época):

"Da parte do nascente com a Fazenda Grande, no lugar chamado a Malhada Grande correndo rumo direto para a parte do Rio S. Francisco extrema com as fazendas da Pedra e Jatinan onde confronta com a lagoa da Catinga e daí correndo rumo direto para cima pela parte de cá da Serra Branca, buscando ao poente, até imparear, correndo rumo direito pela parte da Serra do Irapuá pelo altinho que está entre a baixinha do Papagaio e Riacho da Ingazeira até imparear ou confrontar com a ponta da Serra do Itó, correndo rumo pela Serra abaixo até o fim dela, extremando com a fazenda Panela d'Agua pelo Centro de uma para a de outra por onde for de razão, até imparear com a dita Malhada Grande, e para a parte do Curralinho e Campo Grande, extrema no Taboleiro do Capim Grosso de Fora, e assim extremando o dito comprador... por si etc... O Tam. Pº. Domingos Gomes".
Além de comprar a "Capim Grosso", arrendou do Morgado da Casa da Torre, na Bahia, o Sítio "Jatobá"; "extremando esta Fazenda pela parte de cima da ponta da Serra Grande do Oití, cortando direito a Quixaba e dahi cortando rumo direito a serra Grande do Olho d'Agua, e pela parte de baixo no Posso da Engazeira, e para a parte do Poente onde reparte as agoas para hua e outra parte, pagando de renda 2$000 (dois mil réis), em cada ano".

Além de comprar a "Capim Grosso", arrendou do Morgado da Casa da Torre, na Bahia, o Sítio "Jatobá"; "extremando esta Fazenda pela parte de cima da ponta da Serra Grande do Oití, cortando direito a Quixaba e dahi cortando rumo direito a serra Grande do Olho d'Agua, e pela parte de baixo no Posso da Engazeira, e para a parte do Poente onde reparte as agoas para hua e outra parte, pagando de renda 2$000 (dois mil réis), em cada ano". Era dono ou rendeiro também dos Sítios "Enjeitado" e "Tamboril", na Serra do Arapuá, em cujas propriedades desenvolveu atividades pastoris e agrícolas, com seus agregados e escravos que naquelas propriedades laboravam temporariamente ou residiam.

No seu inventário deixa um patrimônio avaliado pelo Capitão-mor José Lopes Diniz e o Ajudante Antônio Manoel de Souza Ferraz, em 15.635$450 réis, em gado, imóveis, e os seguintes bens de raiz: "um Sítio de terras na Misericórdia, no Pajeú, com légua e meia de comprido, adquirido por compra a Manoel Correia de Melo, (possivelmente irmão do seu genro), e a Joaquim Fernandes de Cerqueira; um Sítio de Terras no Capim Grosso; um curral na Pedra Vermelha; um cercado e curral na Volta; um Sítio(?) na beira do São Francisco, havido por herança do sogro e pai Vitório de Souza, (Vitório de Souza da Rocha, inventariado em 1779); o Sítio Tapera de Paulo Afonso, na Ribeira do S. Francisco, Termo de Pambú, havido por compra; o Sítio Tamboril na Serra do Arapuá". Também figuram algumas dívidas, entre elas 43$530 réis ao crioulo Pascoal Coelho de Lemos, morador na Serra do Arapuá. Não havendo qualquer referência a um 1º ou 2º casamentos seu, conforme noticia Stella Noves. Se assim foi, só houve os 04 filhos com (a 2ª esposa?) Antônia Maria da Conceição, que são contemplados em seu testamento de 1817 e que dela são herdeiros em 1830.

Fonte: FAMÍLIA NOVAES, de Floresta/PE - (Genealogia e história) - Inédito - Pesquisa e organização: Nivaldo Alves de Carvalho. Colaboração: Hildo Leal da Rosa e Yony Sampaio.
439 - Antônia Maria da Conceição (*1758, +06-06-1830) - (filha de 878 - Vitório de Souza da Rocha e 879 - Antônia Pereira Leite) Fez o seu testamento a 28.01.1817, quando contava 59 anos de idade e morava na sua Faz. "Misericórdia", tendo como testamenteiro seu filho José Francisco de Novaes.

Seus pais eram originários da Faz. "Tacoatiara," do Termo de Tacaratu, na margem pernambucana do S. Francisco, outrora pertencente aos seus avós paternos: Capitão Manoel de Souza da Rocha (+1749) e sua mulher Feliciana de Barros (da Silveira +1759). Em 1749, quando se encontrava preso no Recife o Capitão Manoel de Souza da Roxa (Rocha), pelo não recolhimento dos impostos, por ele arrematados, e o real donativo do ano de 1746, no valor total de 6 mil cruzados. Prestaram fiança para a sua libertação: o Alferes João Pinto Leal e sua mulher Maria de Barros (da Silveira); o Tenente Cel. Luiz Furtado de Almeida e sua mulher Beatriz de Souza da Silveira e o Capitão Jerônimo de Souza Ferraz e sua mulher Margarida de Souza (da Silveira), e como testemunha Manoel de Barros da Silveira. Deixando crer que eram parentes, pelo menos por afinidade, numa hipótese consistente de que a esposa do réu e as esposas dos fiadores eram irmãs; (inclusive a testemunha), filhas de Manoel de Barros e Souza e Joana Fagundes da Silveira, originários da freguesia de Jesus-Maria-José de Pé-de-Banco, em Sergipe Del Rei, que naquela época fazia parte da Bahia, e que em 1726 já estavam radicados na Missão do Pambú, do lado baiano do rio São Francisco, passando depois para o lado de Pernambuco (Cabrobó e Tacaratú), com ramificações estabelecidas no Ceará e Paraíba.

Fonte: FAMÍLIA NOVAES, de Floresta/PE - (Genealogia e história) - Inédito - Pesquisa e organização: Nivaldo Alves de Carvalho. Colaboração: Hildo Leal da Rosa e Yony Sampaio.
444 - Dâmaso de Souza Ferraz - (filho de 888 - Jerônimo de Souza Ferraz e 889 - Nome Desconhecido) (Mesma pessoa de nº 212)
445 - Joana Batista de Souza da Silveira (Mesma pessoa de nº 213)
446 - Antônio Barbosa de Sá (Mesma pessoa de nº 214)
447 - Angélica Maria da Conceição (Mesma pessoa de nº 215)

Octavós

784 - Antônio Pereira da Silva (Mesma pessoa de nº 384)
785 - Maria Pereira da Silva (Mesma pessoa de nº 385)
790 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 390)
791 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 391)
800 - Antônio Pereira da Silva (Mesma pessoa de nº 384)
801 - Maria Pereira da Silva (Mesma pessoa de nº 385)
806 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 390)
807 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 391)
816 - Antônio Pereira da Silva (Mesma pessoa de nº 384)
817 - Maria Pereira da Silva (Mesma pessoa de nº 385)
822 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 390)
823 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 391)
840 - José Francisco de Seixas Capitão-Mor e Juiz Ordinário. Nomeado Tenente da Cia. do Cel. Francº Rodrigues de Figueiredo em 1729; em 1732 Cap. do Regitº da Infantaria da Ordem da Fregª de N. Srª. da Conceição do Rodelas; em 1833 e 1738, Juiz Ordinário da Fregª de N. Srª. da Conceição do Rodelas, em nomeações seqüenciadas, até 1757, quando ainda aparece como Juiz Ordinário de Cabrobó. (Fonte: Nivaldo Carvalho).
841 - Custódia Gomes de Sá - (filha de 1682 - David Gomes de Sá)
842 - Manoel de Souza da Rocha (+1749) Capitão. Arrendou a fazenda Tacoatiara, no lado pernambucano do rio São Francisco, no termo de Tacaratú.
843 - Feliciana de Barros da Silveira (+1759)
844 - João Pinto Leal (+Sim) Alferes.
845 - Maria de Barros da Silveira (+Sim) - (filha de 1690 - Manoel de Souza da Rocha e 1691 - Feliciana de Barros da Silveira) Também consta como Maria da Silveira Barros.
872 - José Francisco de Seixas (Mesma pessoa de nº 840)
873 - Custódia Gomes de Sá - (filha de 1746 - David Gomes de Sá) (Mesma pessoa de nº 841)
874 - Manoel de Souza da Rocha (+1749) (Mesma pessoa de nº 842)
875 - Feliciana de Barros da Silveira (+1759) (Mesma pessoa de nº 843)
876 - José Francisco de Souza - (filho de 1752 - José Francisco de Seixas e 1753 - Custódia Gomes de Sá)
877 - Esposa Ainda Desconhecida Possivelmente originária dos Novaes de Cabrobó.
878 - Vitório de Souza da Rocha - (filho de 1756 - Manoel de Souza da Rocha e 1757 - Feliciana de Barros da Silveira) Originário da Faz. "Tacoatiara", do Termo de Tacaratu, na margem pernambucana do S. Francisco.

Fonte: FAMÍLIA NOVAES, de Floresta/PE - (Genealogia e história) - Inédito - Pesquisa e organização: Nivaldo Alves de Carvalho. Colaboração: Hildo Leal da Rosa e Yony Sampaio.
879 - Antônia Pereira Leite
888 - Jerônimo de Souza Ferraz (+20-05-1770) (Mesma pessoa de nº 424)
889 - Nome Desconhecido (Mesma pessoa de nº 425)

Eneavós (9º avós)

1682 - David Gomes de Sá Tenente Coronel.
1690 - Manoel de Souza da Rocha (+1749) (Mesma pessoa de nº 842)
1691 - Feliciana de Barros da Silveira (+1759) (Mesma pessoa de nº 843)
1746 - David Gomes de Sá (Mesma pessoa de nº 1682)
1752 - José Francisco de Seixas (Mesma pessoa de nº 840)
1753 - Custódia Gomes de Sá - (filha de 3506 - David Gomes de Sá) (Mesma pessoa de nº 841)
1756 - Manoel de Souza da Rocha (+1749) (Mesma pessoa de nº 842)
1757 - Feliciana de Barros da Silveira (+1759) (Mesma pessoa de nº 843)

Decavós (10º avós)

3506 - David Gomes de Sá (Mesma pessoa de nº 1682)

Total de Ancestrais: 144
Nota explicativa da numeração: A primeira pessoa da relação tem sempre o número '1'. Em seguida, cada pessoa do sexo masculino tem um número par, que é calculado multiplicando-se o número de seu filho por 2. As pessoas do sexo feminino, por sua vez, têm um número ímpar, que é calculado somando-se 1 ao número do seu marido. Exemplo: O pai da pessoa de número 3 é a de número 6 (3 x 2) e a sua mãe é a pessoa de número 7 (2 x 3 + 1).
 
   
Início da Página Dados disponibilizados por Magno José de Sá Araújo © - e-mail: Magno José de Sá Araújo