Início | Sobrenomes | Fotos | Livros | Outras Famílias
Fale Comigo   
Famílias
Sertanejas
Localização de pessoas 
   
  Memória: Nenhum nome memorizado. Sexta-Feira, 18-9-2020  

Relação dos Ancestrais de
Joanna de Albuquerque

1 - Joanna de Albuquerque - (filha de 2 - Filipe Cavalcanti e 3 - Catarina de Albuquerque)

Pais

2 - Filipe Cavalcanti (*12-06-1525, +ANTES DE 1614) - (filho de 4 - Giovanni Cavalcanti e 5 - Genebra Manelli) Conjurou contra o Duque Cosmo de Médici e fugiu p/Portugal no ano de 1558, daí passando para o Brasil. Em PE foi hóspede de Jeronimo de Albuquerque e casou com sua filha Catarina. Seu nome seria Felipe Zenobio Basilio Cavalcanti.
3 - Catarina de Albuquerque (*CERCA DE 1544, +04-06-1614) - (filha de 6 - Jerônimo de Albuquerque e 7 - Maria do Espírito Santo Arcoverde)

Avós

4 - Giovanni Cavalcanti (*11-10-1478) - (filho de 8 - Lorenzo Cavalcanti e 9 - Contessina Peruzzi) mercador. Humanista de destaque, radicado em Londres
5 - Genebra Manelli - (filha de 10 - Francesco di Leonardo Mannelli e 11 - Maddalena di Gianozzo di Giovanni Naldi)
6 - Jerônimo de Albuquerque (*C.1510, +25-12-1584) - (filho de 12 - Lopo de Albuquerque e 13 - Joanna de Bulhão) Veio com o cunhado Duarte Coelho p/PE e com ele esteve na fundação de Olinda.Na luta contra os índios, ora com êxito para os portugueses, ora com grande insucesso, acabou prisioneiro. Muito jovem, desacostumado ao desconforto, seu físico estava debilitado e foi deixado em segundo plano pelo índios ferozes, sendo cuidado pela filha do cacique. Todos os seus filhos com a índia foram legitimados pelo rei D.Sebastião em 1561,
7 - Maria do Espírito Santo Arcoverde - (filha de 14 - Ubira Ubi e 15 - Índia tabajara) A princesa tabajara Muíra-Ubi.

Bisavós

8 - Lorenzo Cavalcanti - (filho de 16 - Filippo Cavalcanti)
9 - Contessina Peruzzi - (filha de 18 - Ugo di Rinaldo Peruzzi) Testamento feito em 20 de abril de 1516, já viúva.
10 - Francesco di Leonardo Mannelli - (filho de 20 - Leonardo Manelli)
11 - Maddalena di Gianozzo di Giovanni Naldi - (filha de 22 - Giovanni Naldi)
12 - Lopo de Albuquerque (*1440) - (filho de 24 - João de Albuquerque e 25 - Leonor Lopes de Leão) Comendador de Penamacor. Alcunhado "O Bode" por causa de seu cavanhaque caprino.
13 - Joanna de Bulhão (*CERCA 1460) - (filha de 26 - Affonso Lopes de Bulhão e 27 - Isabel Gramaxo) Víuva de João de Mello. Lopo de Albuquerque foi seu segundo marido. Pertence a tradicional família vinda da França, os Bullons.
14 - Ubira Ubi Cacique tabajara. Cacique tabajara, da tribo que habitou Olinda e a qual se deve o aumento desta Capitania
15 - Índia tabajara

Trisavós

16 - Filippo Cavalcanti - (filho de 32 - Antonio Cavalcanti)
18 - Ugo di Rinaldo Peruzzi
20 - Leonardo Manelli
22 - Giovanni Naldi
24 - João de Albuquerque (*CERCA DE 1420) - (filho de 48 - João Gonçalves Gomide e 49 - Leonor de Albuquerque) João Gonçalves Gomide ou João Álvares Gomides, depois João Albuquerque. Apelidado "O Azeite" . Comandatário de Pombeiro.Senhor de Esgueira. Empobrecido, passou a viver em Lisboa.
25 - Leonor Lopes de Leão (*CERCA 1420) - (filha de 50 - Lopo Gonçalves de Leão)
26 - Affonso Lopes de Bulhão - (filho de 52 - Antonio Lopes de Bulhões) Cidadão honrado de Lisboa, parente de nosso glorioso português Santo Antônio ( nome civil Fernando de Bulhões,filho de Martim de Bulhões e Teresa Taveira, falecido em 13.06.1231 e canonizado a 20.05.1232)
27 - Isabel Gramaxo - (filha de 54 - Pedro Nunes Gramaxo)

Tetravós

32 - Antonio Cavalcanti - (filho de 64 - Domenico Cavalcanti)
48 - João Gonçalves Gomide (+24-03-1437) - (filho de 96 - Gonçalo Lourenço Gomide e 97 - Inês Leitão) Senhor de Vila Verde. 2º Senhor de Vila Verde dos Tancos, escrivão da puridade de D.João I e de D.Duarte, sucedendo seu pai no cargo. Num acesso de cólera, assassinou sua esposa e foi degolado em praça pública. Um dos efeitos da condenação foi riscar o sobrenome Gomide dos filhos do casal, que passaram a usar apenas o Albuquerque da mãe, "nome nobre e limpo".
49 - Leonor de Albuquerque (*CERCA 1400, +ANTES DE 1437) - (filha de 98 - Gonçalo Vaz de Mello e 99 - Isabel de Albuquerque) Tb aparece como Leonor Vaz de Albuquerque. Foi morta por seu marido, que acabou decapitado por isso.
50 - Lopo Gonçalves de Leão Judaizante, desembargador em Lisboa
52 - Antonio Lopes de Bulhões
54 - Pedro Nunes Gramaxo

Pentavós

64 - Domenico Cavalcanti - (filho de 128 - Ciampolo Cavalcanti) Tb dito "de Ciampoli". Em 22.10.1362 renunciou aos privilégios magnatícios e adotou novas armas, em vez das tradicionais dos Cavalcantis, "de prata, semeado de cruzetas recruzetadas de vermelho", passou a usar "de prata com uma cruz de vermelho cantonada de 4 estrelas de azul". Mais tarde reverteram ao nome tradicional e às armas de sempre.
96 - Gonçalo Lourenço Gomide
97 - Inês Leitão
98 - Gonçalo Vaz de Mello - (filho de 196 - Gonçalo de Melo e 197 - Constança Martins) Senhor de Castanheira. Cognominado "O Moço". Senhor das Castanheiras, Senhor de Póvoas, Senhor de Cheleiros, "Rico-Homem", fidalgo.
99 - Isabel de Albuquerque (*CERCA 1380) - (filha de 198 - Vasco Martins da Cunha e 199 - Tereza de Albuquerque)

Hexavós

128 - Ciampolo Cavalcanti - (filho de 256 - Cantino Cavalcanti e 257 - Brasia di Ciampolo Salimbeni) Sentenciado à morte e aguardando a decapitação, foi perdoado graças à intervenção dos embaixadores de Siena, cidade onde tinha parentes influentes. Seus filhos renunciam à condição de magnati (nobres) em Florença, e mudam o nome, em 1361, para " de´ Ciampoli".
196 - Gonçalo de Melo
197 - Constança Martins
198 - Vasco Martins da Cunha - (filho de 396 - Martim Vasques da Cunha e 397 - Violante Lopes Pacheco) 7º Senhor de Tábua, "Rico Homem", Chefe dos Cunhas.
199 - Tereza de Albuquerque (*CERCA 1360) - (filha de 398 - Fernando Afonso de Albuquerque e 399 - Laura) 2ª esposa de Vasco Miz da Cunha.

Heptavós

256 - Cantino Cavalcanti - (filho de 512 - Poltrone Cavalcanti) Um dos conselheiros da Parte Guelfa, como os primos direitos, em 1278.
257 - Brasia di Ciampolo Salimbeni De nobre família feudal de Siena.
396 - Martim Vasques da Cunha (*CERCA 1310) 6º Senhor de Tábua
397 - Violante Lopes Pacheco (*CERCA 1310)
398 - Fernando Afonso de Albuquerque (*CERCA 1330, +1387) - (filho de 796 - João Afonso de Albuquerque e 797 - Maria Rodrigues Barba) Filho bastardo de João Afonso, Senhor de Albuquerque. Alcaide-Mor de Palmela e da Guarda em 1373, Mestre da Ordem de Santiago em 1381, Alferes-Mor de Pedro I de Portugal em 1344. Em 01.07.1379 foram-lhe doados todos os bens confiscados a D. João Lourenço da Cunha, Senhor de Pombeiro, marido repudiado de D. Leonor de Telles.
399 - Laura O autor Borges da Fonseca apresenta Laura como inglesa.

Octavós

512 - Poltrone Cavalcanti - (filho de 1024 - Cavalcante de Cavalcanti) Dado como messer, o que o classifica como juiz ou como cavaleiro. Mas o nome, antes um cognome, não diz grande coisa de seu caráter. Foi provavelmente um dos anziani da Parte Guelfa em 1246 junto a um Adimari.
796 - João Afonso de Albuquerque (*CERCA 1310, +28-09-1354) - (filho de 1592 - Afonso Sanches e 1593 - Tereza Martins ( de Menezes)) Senhor de Albuquerque. Também chamado D. João Afonso Sanches ou D. João Afonso de Souza. 6º Senhor de Albuquerque, Medellin, Jarmello, Codiceira . Alferes-Mor do rei seu tio Afonso IV de Portugal e depois seu Chanceler.
797 - Maria Rodrigues Barba (*CERCA 1310) - (filha de 1594 - Rui Martins Barba e 1595 - Iria Martins Alardo) 2ª esposa de João Afonso, o Bom.

Eneavós (9º avós)

1024 - Cavalcante de Cavalcanti - (filho de 2048 - Gianozzo Cavalcanti) Cônsul da comuna de Florença em 1176. Dado como se tendo envolvido nos conflitos dos que se opuseram a Frederico Barbarroxa, quando este invadiu a Itália.
1592 - Afonso Sanches (*ANTES 1289, +1329) - (filho de 3184 - D. Diniz e 3185 - Aldonsa Rodrigues Telha) Filho bastardo do Rei D. Diniz. Foi Mordomo-Mor de seu pai e, mais tarde, por sua esposa, tornou-se o 6º Senhor de Albuquerque. Foi tb o 1º Conde de Barcelos. Era o filho predileto do rei, que queria fazê-lo seu sucessor. O outro Afonso, filho legítimo, levou a melhor e este foi afastado de Portugal, indo para Castela. Sempre lutou ao lado do pai em todas as lutas que este sustentou contra o filho legítimo.
1593 - Tereza Martins ( de Menezes) (*CERCA 1290) - (filha de 3186 - João Afonso de Menezes e 3187 - Teresa Sanches) Ou Tareja Martyins. 5ª Senhora de Albuquerque.
1594 - Rui Martins Barba Sexto-neto por legítima varonia de D. Mem Paes Mogudo de Sandim.
1595 - Iria Martins Alardo - (filha de 3190 - Gonçalo Martins Alardo)

Decavós (10º avós)

2048 - Gianozzo Cavalcanti Nome conhecido por meio do patronÍmico do filho, este documentado. Gianozzo teria casado com uma Adimari, on que se infere do prenome de outro filho que lhe é atribuído. Viveu no começo do século XII; as memórias posteriores dão-no como filho de um Cavalcante di Giamberto di Benedetto, sendo este Bendetto o mais antigo ancestral desta família. Benedetto teria vivido nos começos do século XI.
3184 - D. Diniz (*09-10-1261, +07-01-1325) Rei de Portugal. Cognominado "O Lavrador", é o 6º Rei de Portugal (1279-1325), sendo o 1º filho varão de Afonso III e D. Brites. Casou com a Infanta D. Isabel, filha de Pedro III, Rei de Aragão, e da Rainha D. Constança da Sicília. Foi um rei sábio, bom e justo. Instituiu a Ordem Militar de Cristo com os bens conseguiodos com a extinção da Ordem dos Templários.Favoreceu em especial a agricultura, daí seu cognome.
3185 - Aldonsa Rodrigues Telha (*CERCA 1260) - (filha de 6370 - Ruy Gomes Telha e 6371 - Teresa Gil)
3186 - João Afonso de Menezes Conde de Barcelos. Senhor de Albuquerque
3187 - Teresa Sanches - (filha de 6374 - D. Sancho IV e 6375 - Maria de Menezes) Filha bastarda.
3190 - Gonçalo Martins Alardo Senhor de Vila Verde.

11º avós

6370 - Ruy Gomes Telha
6371 - Teresa Gil
6374 - D. Sancho IV Rei de Castela.
6375 - Maria de Menezes - (filha de 12750 - D. Afonso, Infante) Senhora de Viero.

12º avós

12750 - D. Afonso, Infante Senhor de Molina

Total de Ancestrais: 63
Nota explicativa da numeração: A primeira pessoa da relação tem sempre o número '1'. Em seguida, cada pessoa do sexo masculino tem um número par, que é calculado multiplicando-se o número de seu filho por 2. As pessoas do sexo feminino, por sua vez, têm um número ímpar, que é calculado somando-se 1 ao número do seu marido. Exemplo: O pai da pessoa de número 3 é a de número 6 (3 x 2) e a sua mãe é a pessoa de número 7 (2 x 3 + 1).
 
   
Início da Página Dados disponibilizados por Magno José de Sá Araújo © - e-mail: Magno José de Sá Araújo