Início | Sobrenomes | Fotos | Livros | Outras Famílias
Fale Comigo   
Famílias
Sertanejas
Localização de pessoas 
   
  Memória: Nenhum nome memorizado. Quinta-Feira, 12-12-2019  

Relação dos Ancestrais de
Valfrido Cordeiro dos Santos

1 - Valfrido Cordeiro dos Santos - (filho de 2 - Possídio Ferreira dos Santos e 3 - Verônica Cordeiro dos Santos)

Pais

2 - Possídio Ferreira dos Santos (*21-07-1903, +03-12-1987)
3 - Verônica Cordeiro dos Santos (*13-01-1908) - (filha de 6 - José Antônio de Souza Araujo e 7 - Adelaide Cordeiro)

Avós

6 - José Antônio de Souza Araujo - (filho de 12 - Antônio da Costa Araújo e 13 - Ana de Souza Ferraz) (Cazuza).
7 - Adelaide Cordeiro

Bisavós

12 - Antônio da Costa Araújo - (filho de 24 - José da Costa Araújo e 25 - Gertrudes Ramos Nogueira) (Totonho do Marmeleiro). Morava na Missão de Baixa Verde, cidade de Triunfo - PE. A família "Das Virgens", residentes em Carro Quebrado, pé da serra, também de Triunfo, são também da família "Costa Araújo". Totonho do Marmeleiro foi encontrado morto nas caatingas de Lagoa da Telha, tendo falecido, provavelmente, quando andava campeando. Foi ele quem construiu o açude do Silêncio. Foram testemunhas de seu casamento: Delmiro Ramos Nogueira e Roberto Ramos Nogueira (bisavô de Olímpia de Sá Araújo, casada com o bisneto de Totonho do Marmeleiro, José Firmo de Araújo). Celebrou o seu casamento o Vigário Damaso D'Assumpção Pires.
13 - Ana de Souza Ferraz (*1826) - (filha de 26 - Manoel de Souza Ferraz e 27 - Clara Maria da Fonseca Moura) (ou Ana de Souza da Silveira, S'Aninha).

Trisavós

24 - José da Costa Araújo
25 - Gertrudes Ramos Nogueira - (filha de 50 - João Antônio Ramos Nogueira e 51 - Maria Manoela do Nascimento) (ou Gertrudes Delfina Nogueira).
26 - Manoel de Souza Ferraz (+24-09-1833) - (filho de 52 - Dâmaso de Souza Ferraz e 53 - Joana Batista de Souza da Silveira) Arrendou, em 1819, uma propriedade denominada Algodões, cuja escritura foi confirmada em 12.05.1823. Em suas terras surgiu, em 1917, a povoação denominada Nazaré. Foi o sucessor de Dâmaso no comando político da família, chegando a ser suplente de vereador em Flores. Morreu assassinado por Balbino Alves quando banhava as filhas no riacho São Domingos. Seus descendentes se radicaram em Nazaré.
27 - Clara Maria da Fonseca Moura - (filha de 54 - Antônio José de Moura e 55 - Violante) (ou Clara Maria da Conceição, ou ainda Clara Maria da Penha, conforme registro de matrimônio de Antonio da Costa Araujo, seu neto).

Tetravós

50 - João Antônio Ramos Nogueira Marinheiro. Marinheiro português, residiu em Flores e teve 16 filhos. Em discordia com o Capitão-Mor Joaquim Nunes de Magalhães, Pau-Ferro, fugiu para Pilão Arcado. Mandou buscar a família e, não sendo possível, evadiu-se em companhia de seu filho Manoel Joviniano Ramos Nogueira (Gente Boa), deixando a última notícia em Oeiras, antiga capital do Piaui.
51 - Maria Manoela do Nascimento - (filha de 102 - José Carlos Rodrigues do Nascimento e 103 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha)
52 - Dâmaso de Souza Ferraz - (filho de 104 - Jerônimo de Souza Ferraz e 105 - Nome Desconhecido) Da Fazenda Curralinho. Foi nomeado Capitão dos Forasteiros da Ribeira do Pajeú em 8-09-1780.
53 - Joana Batista de Souza da Silveira
54 - Antônio José de Moura A família MENDES DE MOURA originou-se de três portugueses que chegaram na região da ribeira do São Francisco, nas Fazendas Roque e Sabiúca, por volta do século XVIII. Eles foram: CIPRIANO JOSÉ DE MOURA, ANTÔNIO JOSÉ DE MOURA e MARIANO JOSÉ DE MOURA.
55 - Violante - (filha de 110 - Miguel da Fonseca)

Pentavós

102 - José Carlos Rodrigues do Nascimento O abastado fazendeiro José Carlos Rodrigues, remanescente dos fundadores da Casa da Torre e dono da fazenda Sabonete, situada no lugar em que está hoje Bom Nome, com sua esposa, Ana Joana Batista Pereira da Cunha, deixaram 8 filhos, sendo 6 mulheres e 2 homens. A filha Jacinta foi esposa de José Pereira da Silva. Outra, chamada Maria Manoela do Nascimento, foi esposa do português João Antônio Ramos Nogueira. Outra, foi esposa de José Mariano de Sá (de Floresta-PE), a qual o abastado fazendeiro deu a propriedade Canafístula. Outra, foi mulher de um rapaz da fazenda Ema (em Floresta-PE). Outra, casou na família Lacerda, e outra ainda, foi casada com um rapaz da fazenda Jazido, em Vila Bela. Os dois rapazes casaram. O primeiro, com uma moça do Pato (na ribeira do Pajeú), e o segundo, Gonçalo Rodrigues do Nascimento (falecido em 22/7/1878 aos 82 anos de idade), foi casado com a cearense Vitoriana Gomes de Oliveira (falecida em 16/4/1879 aos 75 anos de idade). (do livro "São José do Belmonte" de Valdir Nogueira, página 255).
103 - Ana Joana Batista Pereira da Cunha - (filha de 206 - Nome Desconhecido e 207 - Nome Desconhecido)
104 - Jerônimo de Souza Ferraz (+20-05-1770) Foi o primeiro Ferraz que chegou a outrora FAZENDA GRANDE do Sertão de Pernambuco (depois Vila de Floresta e hoje FLORESTA), à margem direita do lendário Rio Pajeú (afluente seco do "Grande Rio" ou do Rio São Francisco).
105 - Nome Desconhecido
110 - Miguel da Fonseca Dono da fazenda Santo Amaro Navio.

Hexavós

206 - Nome Desconhecido
207 - Nome Desconhecido

Total de Ancestrais: 23
Nota explicativa da numeração: A primeira pessoa da relação tem sempre o número '1'. Em seguida, cada pessoa do sexo masculino tem um número par, que é calculado multiplicando-se o número de seu filho por 2. As pessoas do sexo feminino, por sua vez, têm um número ímpar, que é calculado somando-se 1 ao número do seu marido. Exemplo: O pai da pessoa de número 3 é a de número 6 (3 x 2) e a sua mãe é a pessoa de número 7 (2 x 3 + 1).
 
   
Início da Página Dados disponibilizados por Magno José de Sá Araújo © - e-mail: Magno José de Sá Araújo