Início | Sobrenomes | Fotos | Livros | Outras Famílias
Fale Comigo   
Famílias
Sertanejas
Localização de pessoas 
   
  Memória: Nenhum nome memorizado. Quinta-Feira, 20-6-2019  

Relação dos Ancestrais de
Erotides Castro de Souza Leão

1 - Erotides Castro de Souza Leão - (filha de 2 - António José de Castro e 3 - Hermínia Ideltrudes de Oliveira)

Pais

2 - António José de Castro (*C. 1824, +06-08-1880) Barão de Benfica. Barão de Benfica, foi negociante, proprietário e fazendeiro na Província de Pernambuco. Era oficial da Imperial Ordem da Rosa, e comendador da Real Ordem de Cristo de Portugal. BRASÃO DE ARMAS: Escudo esquartelado; no primeiro, em campo azul, seis besantes de oiro postos em duas palas; no segundo, em campo de prata cinco quadrilongos de goles postos em aspa; e assim os contrários. Brasão passado no dia 5-6-1867. Registado no Cartório da Nobreza, Lv. VI, fls. 78. COROA: A de Barão. CRIAÇÃO DO TITULO: Barão por decreto de D. Pedro II do Brasil datado de 27-4-1867. Quanto ao nome BENFICA, como designação do título, entende-se que este nome foi tomado do topónimo BENFICA que outrora designava o distrito homónimo do RECIFE (Pernambuco, Brasil), lugar onde do barão de BENFICA mantinha a sua residência oficial e permanente. Hoje em dia, o antigo distrito de BENFICA na cidade do Recife está reduzido a apenas uma via pública, a Rua de BENFICA, integrada no bairro da Madalena. O topónimo Benfica existente no Recife, representa um transplante toponímico tomado do topónimo originário BENFICA que designa ainda até hoje uma divisão administrativa do concelho de Lisboa (Portugal), a freguesia de BENFICA, onde está situado o famoso clube de futebol internacionalmente conhecido e no tempo do barão inexistente.

Enviado por: Wilhelm Zetzsche
3 - Hermínia Ideltrudes de Oliveira (*1827, +05-06-1902) - (filha de 6 - José Joaquim de Oliveira e 7 - Ana Úrsula Carneiro da Cunha)

Avós

6 - José Joaquim de Oliveira
7 - Ana Úrsula Carneiro da Cunha

Total de Ancestrais: 4
Nota explicativa da numeração: A primeira pessoa da relação tem sempre o número '1'. Em seguida, cada pessoa do sexo masculino tem um número par, que é calculado multiplicando-se o número de seu filho por 2. As pessoas do sexo feminino, por sua vez, têm um número ímpar, que é calculado somando-se 1 ao número do seu marido. Exemplo: O pai da pessoa de número 3 é a de número 6 (3 x 2) e a sua mãe é a pessoa de número 7 (2 x 3 + 1).
 
   
Início da Página Dados disponibilizados por Magno José de Sá Araújo © - e-mail: Magno José de Sá Araújo